quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Preview

























Terceira vez.

A Red Bull fatura mais um título de construtores e Sebastian Vetell se coloca como
o piloto a ser batido.

E agora?

O que esperar da Fórmula 1 em 2013?

Mais do mesmo?

O pessoal do energético quer assim.

Por isso não fez mudanças.

O time é bem entrosado.

Dinheiro não falta.

Tanto que tem até filial.

Sendo assim, como não sonhar com o tetra?

E ainda tem a estrela Adrian Newey.

Algum problema no reino da alegria?

Somente Mark Webber.

O australiano, que está em casa se recuperando da cirurgia na perna, acha que pode
ser melhor que Vettel.

Não sei se disse isso sob o efeito da anestesia.

Tudo bem.

Nada que Christian Horner não possa contornar.

**

A Mercedes é um caso especial.

Quer brigar por títulos.

O sucesso na Fórmula 1 faz parte dos planos da Daimler.

Para entender.

Depois que assumiu a direção da empresa, o turco Dieter Zetscher vem acabando com
toda a diversificação que havia no negócio.

Quer os ovos numa única cesta: o mercado automobilístico.

A estratégia tem como objetivo ver a Mercedes dominando seu seguimento.

Por isso a marca não poupou esforços para contratar Lewis Hamilton.

O quartel general de Stuttgart quer ver sua estrela brilhando nas pistas de todo o mundo.

O plano dará certo?

Pode ser.

Estrutura e dinheiro não serão obstáculos.

Ross Brawn que se prepare.

Será cobrado como nunca na vida.

**

No entanto o comandante do exército alemão não corre perigo de ficar desempregado.

A Ferrari sonha com sua volta.

A Scuderia Italiana deverá começar 2013 um pouco confusa.

As primeiras informações dizem que existem divisões.

Ninguém tem uma palavra firme sobre o que será o carro da próxima temporada.

Falta liderança.

É daí que surge o nome de Brawn.

A esperança é que o carro permita que Fernando Alonso possa aprontar das suas.

Há a torcida que o problema com os dados do túnel de vento seja resolvido de uma vez.

Apesar da altíssima tecnologia (como você pode conferir na imagem que ilustra esse post)
a coisa não funciona.

**

E a McLaren?

Alguém duvida que os ingleses continuarão competitivos?

Penso que o pior problema será na classificação do sábado.

Das oito pole positions conquistadas pela equipe de Woking, Jenson Button foi
responsável por apenas uma.

E isso não é bom.

Hoje todo mundo sabe que largar atrás na categoria é sinônimo de problemas.

Como essa também não é a especialidade de Sergio Perez, poderá haver muitas
dificuldades ao longo da temporada.

**

A Lotus.

O time mais legal do grid.

A equipe da moda conseguiu finalmente equilibrar sua contas.

A entrada da Coca-Cola com a Burn e o acordo com a Honeywell trouxeram milhões
de Euros.

Futuro brilhante?

Quer minha opinião?

Sei não.

Por conta do Kimi.

É um excelente piloto.

Porém creio que precisa acontecer um milagre para fazer Raikkonen brigar por
alguma coisa.

E sem luta alguém pode conseguir algo contra Vettel e Alonso?

**

Falando da Williams.

Frank está num período de transição.

Quer ser independente.

Entretanto sua equipe não tem recursos próprios.

Depende do patrocínio trazido por Pastor Maldonado.

E essa dependência mina as pretensões da equipe de Grove.

A derrota na disputa pelo patrocínio da citada Honeywell deve ter sido um
duro golpe.

O cancelamento do C- X75, projeto conjunto com a Jaguar, foi outro.

O time conta moedas.

Até Bottas, mesmo sendo um protegido, teve que trazer dinheiro para completar
o orçamento.

4 milhões de Euros.

Seriam 6...

Mas a PDVSA fez o favor de aumentar de 40 para 42 milhões de Euros a anuidade.

É difícil planejar sem ser dono do seu destino.

**

Os outros.

Sem prognósticos.

Só desejos.

Tenho esperança de pequenos brilhos da Sauber, que anda pelos cantos conversando
com a Porsche, e da confusa Force India.

Gosto do Vijay Mallya. 

Parece habilidoso para contornar os problemas.

Com parceiros dos Emirados Árabes está tentando salvar sua empresa aérea.

Também que a Caterham e a Marussia se embolem com a Toro Rosso.

Mais?

Uma temporada sem acidentes graves.

Que caia uma chuva no GP de Abu Dhabi.

E que o retorno de Flavio Briatore ao paddock não se confirme!

Apesar de gostar de ver o circo pegar fogo...

7 comentários:

Anônimo disse...

Enduro da Atari... hehehe...
Consegui chegar ao décimo dia e por muito pouco, não alcancei o 11o... cansei...

Curiosa a situação da Ferrari... é a única "máfia" desorganizada... talvez se o "capo" Briatore comandasse aquela facção, as coisas seriam "organizadas"...

um abraço,
Renato Breder

Cardozo disse...

R.I.P Up to Date! :o)

Sauber de Porsche? É a minha equipe.

A Mercedes merece um F1 de ponta. Seus carros de rua são fantásticos. O Classe A me deixa saudades até hoje...

Quanto à Ferrari, fico com a impressão de que a lua de mel entre
Fernando e a equipe está no fim. O Cavalo é maior do que qualquer jóquei.

Abraço!

Peter

Anônimo disse...

Kimi não lutar por algo?
Quanta besteira sai quando fala do cara! Botou o grid todo no bolso depois de 2 anos afastado... Tirando o Vettel e o Alonso o resto foi pro bolso.

Hamilton, Button, Weber, Massa e o resto tudo no bolso...

Mas você deve estar certo ele esta na F1 para jogar truco e comer picolé!

Rubens disse...

Não sei se o Sr deste blog acompanhou a temporada de 2012 mas o Kimi mesmo "não tendo pretensão alguma de chegar a algum lugar" ficou em terceiro no campeonato e anos luz à frente do seu companheiro de equipe.

Sei lá gosto é gosto né... mas ser leviano dai já é meio difícil.

Tohmé disse...

Velho e bom ENDURO ao cair a noite.

Fernando Rhenius disse...

Saudades do Atari......
Muito boa lembrança
Abraços.....

Anônimo disse...

Flávio Briatore de volta?? Não é possível. PQP! Quem é que está contratando esse monte de m.? Um cara que não conhece palavras como ética, escrúpulo, espírito esportivo entre tantas outras. Resumindo, um perfeito canalha. Belo exemplar de um FDP.

Perdoem-me pelas palavras, mas não encontro outra forma de me referir a esse cara.

Abraços.

Rodrigo Medeiros