quinta-feira, 3 de abril de 2014

Rascunho com alguns detalhes!























Na imagem acima vemos Adrian Newey experimentando uma de suas criações.

Seria o fim do mundo se além de tudo fosse bom piloto, não?

Bernie Ecclestone disse que acredita na possibilidade do projeto de Gene Haas
estrear na Fórmula 1 já em 2015.

Existem três coisas a serem consideradas nessa história.

A primeira é saber se o cara tem dinheiro para a empreitada.

Até agora não apareceu nada.

A segunda é o tempo.

Não se monta uma equipe do dia pra a noite.

E ninguém está vendo qualquer movimentação nesse sentido, o que indicaria
que algo concreto acontecendo.

A terceira é a disputa de poder entre Ecclestone e Jean Todt.

Mesmo com a simpatia da Ferrari, o projeto não caiu nas graças de Todt.

E se o dirigente francês é contra (e pode ser em qualquer coisa), Bernie sempre
será a favor.

Entre as diversas teorias sobre a Red Bull e seu problema com o motor, a que
mais me agrada é a que fala sobre time dos energéticos comprar a divisão da
Renault que cuida da Fórmula 1.

A McLaren (onde está a Sony??) segue alterando sua carenagem.

Agora é a vez da Gulf Air estampar seu nome por lá.

Parece que os carros de Woking não terão um grande patrocinador nesta
temporada.

Por falar em McLaren, a equipe publicou duas fotos de Ron Dennis.

Uma ao lado de Lewis Hamilton e outra ao lado de Fernando Alonso.

Provocação ou saudade?
























Long Beach está para decidir se continua com a Indy ou se volta para a Fórmula 1.

A Fórmula E, que de forma esperta utilizará apenas circuitos de rua, conversa com
a cidade de New York sobre a realização de uma etapa.

Alguém pode achar engraçado ao lembrar que a Fórmula 1 vem tentando sem
sucesso uma corrida com o cenário de Manhattan.

A diferença é que a nova categoria elétrica não cobra fábulas de dinheiro de suas
sedes.

Na verdade o tipo de parceria proposto é bem interessante e rentável para as
cidades-anfitriãs.

Permitindo que as prefeituras até mesmo lucrem com patrocinadores locais durante
o evento.

Ambiciosa, o plano da turma da eletricidade é chegar a um sólido calendário com
vinte etapas num futuro próximo.

Veremos.


17 comentários:

Marcos Alvarenga disse...

Uai, cadê o Rio?

TheEltonToptec disse...

Seria o Stig no cockpit?

Leandro Angelo disse...

Sobre a entrada de um novo time, a minha opinião é que esse silêncio todo pode ser algo de diferente, ao invés de entrar um novo time, podemos ter a compra eventual de um que já exista.

Ainda mais com o Tony Fernandez ameaçando parar de brincar de dono de equipe.

Danilo Candido disse...

Corradi,

Gene Haas também poderia assumir um provável 9e pelo visto, quase inevitável) "futuro espólio" da Caterham ? Seria o único meio de ingressar já em 2015.

Um abraço,
Danilo Candido.

Rafael Vieira disse...

E o Rio de Janeiro, caiu fora do calendário da F-E?

Anônimo disse...

Nao duvido nada que o dono da RBR compre a Renaut só para melhorar o motor...esse cara é tão rico, que se um dia ele vai no Mcdonalds e nao gostar do sanduíche, ele compra a rede inteira só pra fazer um que ele goste

Humberto Corradi disse...

TheEltonToptec

É o Fernando Alonso.

Valeu

Anônimo disse...

Ué, cadê a etapa brasileira no calendário da Fórmula E?

ah, talvez os promotores locais 'tenham decidido' confirmar a prova para o derradeiro instante possível; também, não se pode esperar muita coisa quando se trata de automobilismo esportivo no Rio de Janeiro.
o tal prefeito não consegue nem realizar os projetos de Imfraestrutura para os Jogos de 2016, para os quais tem gigantesca verba prometida e creio já alocada, que dirá de um evento aparentemente menos importante que fechará parte da cidade por alguns dias da semana.

bem que SP poderia se candidatar a receber uma etapa dessa Fórmula, mas aqui a prefeitura parece não querer nem pensar a respeito dessa possibilidade
Fernando

Ron Groo disse...

Gulf é? Hum... Será que vai ter alguma mudança ou só vão escrever Gulf na parte preta?

Humberto Corradi disse...

Ron Groo

Só escrever.

A Fórmula 1 não permite mudanças bruscas no layout dos carros apresentados na primeira etapa.

Tudo para facilitar a identificação das equipes por quem está assistindo.

Valeu

Jobson disse...

Sim,

Fernando Alonso testando a McLaren ainda em 2006, mas já com os pneus da Bridgestone.

Daniel Chagas disse...

Hamilton ainda vai voltar para a Mclaren, questão de tempo...

Anônimo disse...

Corradi, lembro que em 94 a Larrouse apresentou pelo menos 3 pinturas diferentes: Verde/Azul, Branca/Vermelha, (voltou ao Verde/Azul de novo) e depois acrescentou branco na entrada de ar superior. Em 91 a Williams começou também a temporada com a carenagem da entrada de ar branca e voltou ao tradicional amarelo. A partir de quando que passou a valer isso de não mudar muito a pintura?

Anônimo disse...

Anônimo

Acho que foi quando a BAR tentou entrar com uma pintura pra cada carro em 1999.

Rodrigo Keke disse...

A RBR comprando a DIVISÃO de motores da Renault (não a marca, como alguém falou aí) seria um cenário, digamos, louco. E que vai contra a possibilidade que o Corradi ventilou por aqui anteriormente sobre a Red Bull se desfazer do time e virar patrocinador master da casa di Maranello. Corradi, isso aconteceria se eles engatassem um período sem grandes resultados, correto?

Humberto Corradi disse...

Rodrigo Keke

A opção de se tornar apenas uma patrocinadora está sempre no ar.

Depende da visão que a marca tem sobre a Fórmula 1 e do do que traria mais frutos para o energético.

Valeu

Anselmo Coyote disse...

Quando o Newey acerta a mão a equipe economiza com pilotos dispensando-os e pondo motoristas eu seus lugares. Pelo menos um se dá bem.
Abs.