sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Rascunho de Caça
























A McLaren continua se movimentando.

Faltam poucos meses para 2015.

O time de Woking mandou um dossiê para Fernando Alonso com informações
sigilosas sobre o desenvolvimento do motor Honda.

Foi um pedido do piloto?

Ao mesmo tempo, Mika Hakkinen confirma a sondagem do time de Ron Dennis
em cima de Valtteri Bottas.

Olhando o cenário, fica cada vez mais claro que Jenson Button está sendo descartado. 

8 comentários:

Maico Rian disse...

É fato que Bottas vem merecendo algo melhor para o ano que vem, se bem que a Williams também está numa ótima fase. Mas a Williams é a Williams: Do mesmo jeito que ela foi capaz de fazer um ótimo carro agora, possa ser que o do ano seguinte seja uma lástima.

Se Hamilton sair mesmo da Mercedes, Bottas seria um bom nome para adentrar a equipe, pois pelo que vem provando esse ano, Nico Rosberg tem sim capacidade de liderar a equipe de Stuttgart, pela ótima temporada que vem fazendo.

E com certeza se aconteceu isso, foi um pedido claro do espanhol, que ''não dá ponto sem nó''. A performance do espanhol tá aí, mas claramente ele não quer passar o que vem passando na Ferrari.

Renato Santos disse...

Quem disse que não acontece nada nas férias? Vai logo pra Rondenislândia, Alonso!

Juanh disse...

Hunt y el March 731 de Lord Hesketh.
Abrazos!

Unknown disse...

A McLaren deve estar maluca pensando em torrar milhões. Talvez acredite que precisa de um piloto experiente para ajudar a desenvolver o carro, que acreditam ter potencial. Ainda sim está oferecendo demais

Secastro disse...

Se existe um termo em inglês que é perfeito para definir este March, este é "bulky".

Falar que tenho saudades da época de uma Hesketh Racing é chover no molhado, mas é bom lembrar que em 1973, fora o time oficial da March corrram com este carro James Hunt (o da foto), Mike Wilds, Henri Pescarolo, J. P. Jarier, David Purley, Mike Beuttler, Roger Williamson, se não me escapou ninguém. No ano anterior, com o March 721, correram mais 10 pilotos diferentes (!). Mas isto não estava de acordo com a política de Bernie Ecclestone, então virou história. Realmente, uma pena.

Alfredo Aguiar disse...

Olá Corradi

Também convenhamos, dessa ideia ridícula de permanecer centenas de anos pilotando um F1 já temos o rabichello que pra largar o osso teve que sair amarrado do circo. O Button já tem um caneco, pede pra ir ao banheiro e saia pela porta da frente. O inglês é um cara legal e deveria ele mesmo dizer que deu pra bola, a fila anda. Se gosta tanto assim de correr tem WEC, e dezenas de outras categorias pra veterano experiente.

Quanto ao espanhol, acredito que vá tentar pelo menos mais um ano nos vermelhinhos. É tratado a pão de ló por lá e a McLaren é uma incógnita pra próxima temporada, mas está jogando, dinheiro nunca é demais e o Monte-zé-mula vai cobrir qualquer oferta. Afinal a grana vem da espanha any way!!!

Um abraço

Humberto Corradi disse...

Alfredo Aguiar

Você está levando a discussão pra um lado diferente. Ninguém aqui disse que o piloto deve obedecer por conta de sua cor.

Ninguém falou isso a não ser você.

Penso que Rosberg e Hamilton devem obedecer por serem empregados.

Ninguém está correndo de favor. Se eu estou pagando (estrutura, motor, design, salários), o piloto vai fazer do meu jeito. Se não quiser, pode mudar.

É um lado da história.

O outro é a competitividade.

Só acho que quando Hamilton desafia as ordens, está comprando uma briga dentro da equipe.

Se ele souber o que está fazendo, tudo bem.

Mas aqui apenas discutimos o cenário e as visões diferentes são saudáveis.

Valeu

Marques disse...

Vettel não era pago pela equipe também? Mas no caso dele é fome por vitórias, né?