segunda-feira, 16 de março de 2015

Rascunho Sem Fuso


































O trem.

Mônaco nos anos 50.

Bernie Ecclestone parece estar bastante aborrecido com a Manor.

O chefe da Fórmula 1 declarou que a equipe em nenhum momento teve intenção
de participar da corrida na Austrália.

"Eles não conseguiriam, mesmo se alguém colocasse uma metralhadora na cabeça
deles."

Por isso a FOM não irá pagar qualquer despesa de frete que o time fez até agora.

Sobre o assunto, o Tordo diz que não havia uma gota de combustível disponível
para os carros da Manor.

Mais Bernie.

Ele está apoiando declaradamente a posição da Red Bull para que aconteça
um equilíbrio de forças na categoria.

Christian Horner reclama do tratamento desigual.

Ele lembra que quando a turma do energético mandava na festa, toda hora
surgia uma alteração nas regras.

Mapeamento de motor, difusores, partes flexíveis, escapamentos...

Na briga, a figura de Jean Todt  não demonstra interesse em forçar qualquer
mudança drástica.

A Ferrari também se propôs a jogar segundo as regras atuais.

Toto Wolff  (Mercedes) deu até um conselho para Horner.

Chorar no Muro das Lamentações em Jerusalém.

A parceria entre a Red Bull e a Renault está destruída.

Horner ao falar da Casa de Viry Chantillon chega a usar a palavra "bagunça".















Tudo isso trouxe à superfície a possibilidade de Dietrich Mateschitz desligar
a marca da Fórmula 1 como equipe.

Nenhuma surpresa, já que esta situação foi desenhada aqui no Blog alguns
meses atrás.

Cllique aqui para lembrar.

Após um final de semana conturbado, apareceu na Sauber a sombra de
Colin Kolles.

Aquele que tentou a jogada de adquirir a estrutura da Caterham, inclusive
com a preciosa licença da Fórmula 1, para transformá-la na Forza Rossa.

Desde o ano passado a gente falava sobre a ameça da Alemanha perder sua
data no calendário da F1.

Alguns "especialistas" (que ganham para escrever) falavam ser impossível.

Depois de uma noite sono, aceito a ideia que a Mercedes andou dentro da
sua margem de segurança na Austrália.

Sem forçar o ritmo em momento algum.

Outra.

O bólido da Ferrari trata melhor os pneus do que as máquinas da Williams.

Por fim.

Felipe Massa (provocando) duvida que a equipe de Frank esteja recebendo todas
as atualizações do software do motor de Stuttgart.

Alguém duvida?

12 comentários:

Fabrizio Salina disse...

A Red Bull demonstra todo seu espírito esportivo assim que começaram as dificuldades. Quantos anúncios cobrem atitudes imediatistas? Deixar de ser equipe, rechaçar a Renault, reclamar do sucesso da garagem alheia, enfim, talvez devessem provar do próprio remédio para "dar asas". A Mclaren está na lama, e pelo que consta, ainda não pensou em virar apenas marca e a Honda conseguiu ser pior que a Renault do ano passado.
Quanto a Horner, está sendo aguardado nas maifestações da gente diferenciada, pois não aceita perder.

Renato Santos disse...

Esses rascunhos são aquele tipo de coisa que eu vou lendo e dou uma olhadinha abaixo para ver se tem muito ou pouco para ler, e diminuo o ritmo para aproveitar bem. Eu sou um sortudo mesmo!

Renato Santos disse...

Você já cantou a pedra dos pneus da Ferrari, que ano passado já "dobrava as curvas" muito bem, mas o motor negava os carinhos.

Ron Groo disse...

Quer apostar quanto? Se começarem a mexer nas regras para igualar alguma coisa, os tedescos começam a falar em ir embora da categoria.

Marques disse...

Mas tem uma diferença fundamental.. Todas essas mudanças que a Red Bull cita foram feitas por causa de "loopholes" que a empresa austríaca. Agora eles querem uma mudança radical, mas até onde se sabe a Mercedes não fez nada de ilegal, apenas fez um trabalho melhor.

Ah, o Horner (figura mais detestável da F1 atual) esquece que em 2013 fez absolutamente de tudo para mudar os pneus para favorecer seu time... E agora vem falar de justiça. Aquilo acabou com o ano.

E sem falar que a Red Bull tem um contrato com Bernie para receber mais que os outros, tal qual a Ferrari. A Ferrari se justifica, a Red Bull não.. Parece que Hamilton tinha razão quando falou que a Red Bull era uma marca de energéticos e não uma montadora com tradição na F1. Primeiro momento de derrota e já vem o chororô.

Que vazem da categoria então..

Marcos José disse...

A choradeira tem um endereço e nome : teremos novidades em breve na Red Bull (reunião pra decidir se fica ou anunciar uma nova parceria já a caminho?) e me parece que a Toro Rosso não fará mais parte dos energeticos e será mesma vendida (será que a Renault aumentou o valor da sua proposta?) como parte de seu acordo com a nova parceria (só o tempo dirá se eu me enganei)! Seria Frinjs (!?) o tal "piloto reserva" escolhido pela Williams, caso o Bottas não pilote na Malásia?

Pedro disse...

sem pachequismo, penso que o Bruno Senna seria uma ótima opção caso o Bottas não possa correr. Já conhece a equipe, tem um estilo suave e manda bem na chuva, que geralmente aparece na Malásia. Lembrem da excelente prova de 2012...

Renato Santos disse...

Quem fala que quer sair pode ser que esteja jogando verde pra colher mAUDIuro...

Jaime Boueri disse...

Ia comentar só "que foto foda, essa do trem", mas aí li os comentários e tive de estender o meu:

A Ferrari não sai da F1. Se sair, a categoria acaba.

Anônimo disse...

Linda a foto do trem. Essa do Jabouille é F2? Bico limpa-trilho, tomada de ar "chaleira" e asa traseira inferior que seria o sonho do Newey. hehehehe.
Achei estranha essa história do software da Ferrari, será que seria assim tão difícil deles fornecerem a versão 2014? Vai ver faltou pagar o boleto do acordo sobre as "unidades de força". Mas se faltou combustível também, e o carro estava limpo de patrocínios, está com cara que vaca vai pro brejo de novo. Ou o OVO vai aparecer?

Cristiano

iain rolland disse...

Nenhuma.

E provavelmente a Force Índia menos ainda, ou o carro deles e o pior da historia dos híbridos, já que para andarem literalmente últimos (Mac Laren não conta por enquanto) com motor Mercedes e uma façanha!

Juanh disse...

Bernie critica a Manor pero lo necesita; si hubieran estado en Australia, McLaren no hubiera sido último. Además, 15 coches en la largada fue una vergüenza...
Abrazos!