quinta-feira, 4 de junho de 2015

Novela das Pistas














































A ameaça de Monza ficar de fora do calendário da Fórmula 1 é real.

O problema é a falta de recursos.

O tradicional circuito italiano perdeu apoio do governo, que lhe dava isenção
fiscal.

As taxas se tornaram altas demais neste novo cenário.

Opções?

Em julho de 2014 falamos sobre este tema aqui.

Bernie Ecclestone já havia ameaçado Monza.

Luca di Montezemolo esfregava as mãos para que o Circuito de Mugello
assumisse o posto.
























Mugello que pertence a Ferrari.

A ideia era repetir a experiência (bem sucedida) da Red Bull com sua pista austríaca.

Correr literalmente em casa, também.

Mas muita coisa mudou.

Montezemolo não manda mais.

As cabeças são outras dentro da Scuderia Italiana.

E neste momento, a Casa de Maranello está mais para vender do que propriamente
investir em sua pista.

E pensar que Montezemolo recusou uma proposta da Porsche para adquirir
Mugello.

Os alemães partiram então para o plano B.

E hoje são os felizes proprietários do anel de Nardo (também na Itália) e seu
complexo de testes.

























E Imola?

Não poderia ser uma outra opção?

Não.

O problema aqui também é financeiro.
























As adaptações para as normas atuais da fórmula 1 teriam um custo muito elevado.

Então a Itália ficará sem receber a categoria máxima do automobilismo?

Não.

A Ferrari já demonstrou seu apoio a Monza.

Por ser histórica.

As autoridades responsáveis pelo autódromo já estão circulando nas esferas mais
altas do governo de lá.

Buscando a intervenção política necessária para solucionar a questão.

A tendência?

Tudo ficará como está.

Depois do pagamento chegar aos bolsos de Bernie, claro.

Velha novela.

3 comentários:

Ron Groo disse...

Que Imola volte, mas não no lugar de Monza...
Se Monza sair, provavelmente eu perca o tesão de ver corrida.
Perde todo o sentido.

David Félix Krapp disse...

F1 sem Monza ??? Nao e F1 !!! Creio que eu tambem desencano de assistir...

walter disse...

F1 sem Gp na Alemanha.
Sem Monza...
Sem uma única pista rápida.
Acho bacana quem ainda tenha paciencja de ver uma corrida.
Ecclestone é o nobel do capitalismo às avessas: destruiu um ativo valioso, faEndo de conta que era um canalha genial. Mas era só canalha...