sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Rascunho Anticlímax

























Agora é oficial.

A Renault retorna para a Fórmula 1 com uma equipe de fábrica.

Houve muita festa entre os funcionários de Enstone.

Sem contar os patrocinadores, o orçamento do time francês será de quase
200 milhões de euros para 2016 (premiação, investimento próprio e FOM).

Importante dizer que ninguém está esperando milagres para o ano que vem.

Anticlímax.

Assim classifico esse final de temporada na Mercedes.

O time que venceu tudo e todos.

Toto Wolff não poupa Lewis Hamilton de críticas.

Engenheiros e a cúpula da Mercedes não estão nem um pouco satisfeitos com
as declarações feitas pelo campeão nas últimas provas de 2015.

Pior.

O desempenho final de Nico Rosberg prova mais uma vez que o time alemão
não precisa pagar tanto para chegar ao título e muito menos aguentar indiretas
e reclamações do piloto inglês.

É necessário que Hamilton coloque a cabeça no lugar.

E seja menos grosseiro e petulante, como disse Martin Brundle num comentário
recente.

Se ficar isolado dentro da escuderia da estrela de prata, veremos repetições de
estratégias erráticas em suas jornadas (como aconteceu em Abu Dhabi).

Lewis precisa entender que, além do seu talento, foi um carro dois segundos mais
rápido e o trabalho firme de sua equipe que o levaram ao título.

Pro seu próprio bem.

Uma lista.

Kimi Raikkonen, Valtteri Bottas, Felipe Massa, Daniel Ricciardo, Daniil Kvyat,
Sergio Perez, Pastor Maldonado, Jolyon Palmer, Carlos Sainz Jr., Felipe Nasr,
Marcus Ericsson e Jenson Button.

São os pilotos com contrato somente até o final do ano que vem.

Assim, 2016 promete ser uma temporada de especulações e surpresas na dança
das cadeiras!

Kevin Magnussen testou o carro da Mercedes na DTM.

































Depois de ser dispensado da McLaren por "não ter atingido metas", o jovem
segue procurando um futuro dentro do automobilismo.

Pergunto.

As tais metas seriam atrair empresas dinamarquesas como a Lego ou instituições
financeiras como a Saxo Bank para patrocinar a McLaren?

Por conta de uma decisão judicial, a Diageo está prestes a assumir nos próximos
dias o controle da Force India e ainda afastar de vez Vijay Mallya de qualquer
direção dentro da equipe.

A escuderia teria sido dada como garantia de pagamento de uma dívida do
empresário indiano no acordo com a empresa de bebidas Diageo, que entre
outras marcas é dona do whisky Johnnie Walker.

Já houve o pedido da alteração no nome do time na última reunião do conselho
mundial.

O próprio Mallya deixa transparecer as mudanças ao afirmar que a "Force India
pode ter cumprido seu objetivo."

Por consequência entende-se que está bem próximo o anúncio do retorno da
Aston Martin a categoria máxima do automobilismo.

Está decidido que o GP de Baku (19 de junho de 2016) não terá seu encerramento
coincidindo com o final das 24 horas de Le Mans.

Outra do calendário.

Hockenheim já está vendendo seus ingressos.

Por fim.

Romain Grosjean (sonhando com a Ferrari) ainda neste mês estará trabalhando com
a Haas no simulador e acompanhando as mudanças feitas a partir dos testes de túnel
de vento.

Tudo em Maranello, claro.

Sobre a Ferrari, o Tordo (o trapaceiro voltou!) diz haver um lobby para permanência
de Raikkonen para 2017 (quando também termina o contrato de Grosjean com a Haas).

E ainda se derrete pelo trabalho de James Allison.

"É um gênio!"





















9 comentários:

Fidel Miño disse...

Cuanta data da boa Corradi, e acertou com a parceria Red Bull-TAG!

Que moleque enjoado esse Hamilton

David Félix Krapp disse...

Corradi, faltou falar da Red Bull TAG que no ano que vem será um Renault preparado pela Ilmor, maa e depois ? A última parceira da TAG foi a Porsche... será que rola de novo ???

Humberto Corradi disse...

David Félix Krapp

Falamos muito de Red Bull no último Rascunho (Autossuficiente).

Mas respondendo sua pergunta, Honda e Porsche conheceram as novas instalações em Milton Keynes.

Só uma coisa: será que a Red Bull não quer apenas ser independente e livre das fabricantes?

Vamos ver o que o futuro dirá!

Valeu

cesar disse...

Sobre essa celeuma na Mercedes: se fizerem a bobagem de prescindir de Hamilton, seja colocando-o em segundo plano ou dispensando o tricampeão, sentirão na pele a queda de rendimento. Rosberg não é e nunca será páreo para Vettel, Alonso e Hamilton. É um ótimo segundo piloto, apenas...

Anônimo disse...

Ao cesar:
Só uma coisa: com um carro como a Mercedes, até você ou eu faríamos bonito, então o inglês não é essa brastemp toda não!
Aliás, já vimos muita besteira dele quando tem que vir de trás escalando o pelotão.
E além de tudo ele fala demais, surta demais e causa demais!
Vai ganhar ainda uns trocentos títulos por obra da Mercedes, mas jamais chegará aos pés de um Jim Clark, Graham Hill ou Jackie Stewart, só para ficar entre os britânicos.
Abraço.
Zé Maria

Eduardo Sacramento disse...

Lendo as notícias hoje. o que deu a entender que a Ilmor vai trabalhar para a Renault, ou seja, As mesmas melhorias do motor da Red Bull serão aplicadas no motor da casa francesa.

Daniel Chagas disse...

Coitada da Renault! Vai ter que aguentar o Maldonado ano que vem!Provavelmente tirando a dupla da Manor, a da Renault é a mais sem graça do grid.Acho que Palmer tem talento mas não sei se para tanto. Espero queimar minha língua. Como já disse, minha dupla se fosse possível seria Ricciardo/Hulkenberg ou Bottas.

Fabrizio Salina disse...

A Renault deve ter obtido uma boa grana nesse fornecimento "avulso" de motor para a Red Bull, além de margem de negociação com Eclestone. Tudo aí foi bem amarrado. Grana que com certeza entrou no passivo da Lotus...
Por falar em Lotus, esse nome parece que não trás mais sorte.

cesar disse...

Aí o buraco é mais embaixo, mas hoje na pior das hipóteses, ele é o terceiro melhor..