domingo, 31 de julho de 2016

Max Verstappen e a McLaren

























Um pensamento.

As vitórias não surgem do acaso.

Principalmente na Fórmula 1.

Hoje vivemos um domínio absoluto da Mercedes.

Domínio que foi cuidadosamente construído.

Assim como foi o da Benetton e o da Ferrari alguns anos atrás.

As citações aqui não são gratuitas.

Pois em todas aparecem as figuras de Ross Brawn e Michael Schumacher.

Lewis Hamilton apenas colhe os frutos.

Poderia ser Rosberg, Vettel ou Alonso no lugar dele.

Tanto faz.

Ressalto a importância de se criar uma base.

Desde os nomes que formarão todo o time de engenheiros, passando pela
metodologia de trabalho e influência política.

Sim, a política também entra.

Pois saber para onde as regras caminham, ou direcioná-las ao seu favor,
possibilita a vantagem ideal sobre seus adversários.

Falei tudo isso pra chegar na McLaren.

Um tempo atrás, quando todos apontavam o interesse da Ferrari em
Max Verstappen, a gente apontou que a Mercedes foi quem colocou
uma proposta real sobre a mesa para o jovem piloto.

(graças ao Tordo)

Proposta que, devido aos termos, foi recusada.

O que causou certa irritação em Toto Wolff.

(que no momento monitora com cuidado a carreira de Lance Stroll)

Pois agora o Tordo indica que o destino final de Verstappen pode ser a
McLaren.

A tradicional equipe de Woking traria o holandês para ser sua estrela.

Mas antes disso precisa trabalhar sua base para um futuro de sucesso.

Assim a Honda, Peter Prodromou e Fernando Alonso estariam no time de
Ron Dennis fazendo o mesmo papel da dupla Brawn e Schumacher nas
experiências citadas acima.

Para que outro possa receber as benesses.

Não que Ferdi esteja intencionalmente trabalhando para isso, claro.

Entretanto note a repetição da história.

Precisamos lembrar que existem apenas quatro equipes de fábrica.

Ferrari, Renault, Mercedes e McLaren (Honda).

E estar ligado a uma delas é essencial para lutar pelo título.

Ser grande.

Esse seria o grande  apelo.

Max Verstappen viria assim para substituir Fernando Alonso no futuro.

E comandar a McLaren-Honda para novos dias de glória.

Alguém aí pensou em Stoffel Vandoorne?

OK.

Entretanto não acredito que o que ocorreu entre Nico Rosberg e Michel
Schumacher, ou mesmo entre Lewis Hamilton e o próprio Alonso, venha
a acontecer novamente.

Quando o mais novo surpreendeu o mais experiente.

O menino Belga (caso a substituição de Button se confirme) será devidamente
esmagado pelo bicampeão espanhol.

Pois a equipe pertence a Alonso.

Ele é o dono.

A estrela.

Pelo menos por enquanto.








14 comentários:

Jeferson Araujo Pereira disse...

Supondo que Verstappen vá para a McLaren, eu concordo que ele será esmagado por Alonso.O que eu acho difícil de acontecer é que Verstappen se interesse em ir para a McLaren.

A impressão que eu tenho - e acho que é até possível que 99% dos leitores deste blog concordem comigo - é que essa expectativa da McLaren voltar a ganhar tudo novamente, ou seja, ser a nova Mercedes, isso não acontecerá nunca mais.Tenho a impressão de que a McLaren ficará, pelos próximos 3 ou 4 anos, disputando do 8º ao 15º lugar em todas as corridas.Acredito que só a Ferrari e a Red Bull podem TENTAR bater a Mercedes em 2017.

juniorcaixote disse...

Discordo completamente, Corradi.

Se eu entendi a sua colocação, as colaborações de Schumacher e Brawn foram na formação do time, ok?
Pode até ser, mas a mudança ABRUPTA de regulamento de 2013 pra 2014 não permite, na minha opinião, que se dê quaisquer créditos à dupla, no que diz respeito ao desenvolvimento do projeto vencedor que é a Mercedes hoje. Isso considerando o que você afirma, que o Hamilton apenas está colhendo o que já foi plantado. Se o Rosberg entubou o "Schumy" nos três anos seguidos, e já estava envolvido com o time todo esse tempo, pela lógica ele deveria destroçar o Hamilton, coisa que não aconteceu...

Chora não, Corradi, guarde um pouquinho das lágrimas pro fim da temporada, que o "negão" vai levar mais essa.

Jefferson disse...

Vou discordar de voce chara.
Entendo que algumas dessas manobras de bastidores surtirão efeito. Nao creio em um novo mp4/4 mas certamente irão andar mais a frente e voltarão a vencer.

LGD disse...

Jeferson Araujo Pereira, "nunca mais" é muito tempo, lembremos que ano que vem já ocorrerão grandes mudanças. Embora eu não veja a Williams sendo campeã novamente a médio prazo, não descarto a McLaren sendo campeã novamente, possuem mais gana.

Outra equipe que vejo com boas perspectivas de incomodar as ponteiras (seja quais forem) é a Renault, pois tenho a impressão que este ano estão "cumprindo tabela" mas trabalhando forte para as mudanças da próxima temporada.

Marques disse...

Então Hamilton não tem nada a ver com o sucesso da Mercedes. Mas Schumacher tem. O mesmo que apanhou e feio do Rosberg.
Deve estar difícil encontrar maneiras de desmerecer o inglês nessas últimas corridas, apesar que reconheço o seu esforço para tal.

Rafael disse...

Não muda o foco não Corradi!

Seu piloto favorito já perdeu esse título.
Ahh, como eu já disse anteriormente
só pra lembrar: https://www.blogger.com/comment.g?blogID=8034653313238789780&postID=8113077260321289728&isPopup=true

30 de lambuja!!!!

Danilo Silva disse...

Torço para o Hamilton, mas a punição ao Rosberg foi ridícula. O cara foi arrojado na ultrapassem. Estão punindo arrojo de um piloto. A F1 está detonando a si mesma.

Edwilson Afanaci disse...

Corradi. No seu texto vc cita o nome do Rosberg como um dos pilotos que poderia estar no lugar do Hamilton? Uai, mas ele está um carro igual. Não entendi.

Thiago Jaudy disse...

CHORA HUMBERTO CORRADI O SONHO ACABOU!!!!

E TETRA! AQUI E LEWIS HAMILTON AMIGO!

Társio disse...

Po, galera...
Parem de cornetar o Corradi.

Ele tem as preferencias dele, como todos nós. Faz parte da torcida!!

Eu penso semelhante, em termos de carros e equipes existem "ciclos" na F1. Houve o ciclo McLaren Honda, Williams Renault, Ferrari, Red Bull Renault e agora Mercedes. E acredito que quando um nome de peso como Hamilton se juntou a Mercedes, já existia um "roteiro" do que viria a seguir. Penso o mesmo para Alonso ter retornado à McLaren. Ficarei muito surpreso se a McLaren não estiver na ponta no próximo ano.

Sou admirador do Verstappinho-flatout, mas como as coisas estão hoje não o vejo tendo interesse em abandonar uma Red Bull em ascençao para uma incognita como infelizmente hoje é a Mclaren.

Abç
Tarsio

Ednardo disse...

rosberg corre com o mesmo carro e nao ta colhendo fruto algum.

argumento fail.

Anísio Freire disse...

Que engraçado, Vettel também caiu de páraquedas em um carro que era o segundo melhor do grid (red bull de 2009). E passou quatro anos vencendo porque tinha um carro 1 segundo mais rápido do que os demais. Ele teve algum papel direto nos anos de aprendizado e desenvolvimento do carro da red bull? Claro que não. Mas em momento algum o Corradi desmereceu os seus feitos quando ele pulou da Toro Rosso automaticamente para um carro vencedor, que foi desenvolvido por outros, e passou a ganhar tudo.

Jefferson disse...

Disse tudo Anísio Freire.
Mas também concordo em parte com o Tarsio.
Realmente todos temos nossas preferências.
O que nao faz sentido são os diversos pesos e medidas nos 'comparativos'.
Levemos na esportiva, como no futebol quando o nosso tome sempre vence! Rsrsrs.

Leandro Legal disse...

PUTZ!!! Verstappinho "speedkid" pilotando para Ron Dennis na McLaren ANTES de se tornar o primeiro holandês campeão mundial com a Red Bull???


Bom... Se isso acontecer, vai ser a maior reviravolta da Fórmula 1 desde quando Graham Hill e Jim Clark estiveram juntos na Lotus de Colin Chapman, na segunda metade dos anos 60.


Atenção mundo da F1... tremei!!!