domingo, 26 de março de 2017

Austrália - 2017




























A vitória de Sebastian Vettel em Albert Park foi marcante.

Pelos tempos esquecidos.

Apagados.

Quando foi que a Ferrari havia ganho na Austrália?

E chegado ao triunfo numa primeira etapa de campeonato?

Alguém se lembrava da última vitória?

Tudo foi renovado.

A história começou a ser escrita após a classificação do sábado.

Na Scuderia Italiana estavam todos inconformados.

Lewis Hamilton não deveria estar no topo da lista.

A noite chegou.

Pouca movimentação.

Apenas a segurança e alguns gatos pingados permaneciam no palco da corrida.

Quem esteve por lá naquele momento testemunhou Vettel deixando Albert Park.

O último.

O trabalho precisava ser concluído para o domingo ser brilhante.

A primeira oportunidade viria no momento em que as luzes vermelhas se
apagassem.

Entretanto Hamilton fez o que se espera de um grande piloto.

E não cometeu erros.

Começou assim o segundo ato.

A perseguição.

Lewis seguiu seguro e firme.

Vettel, muito rápido, não deixou o adversário desgarrar.

Valtteri Bottas e Kimi Raikkonen, principalmente o segundo, tinham dificuldades
para acompanhar.

A Mercedes percebeu que o carro vermelho confirmava seus cálculos.

A nova máquina italiana era fortíssima.

(os recursos extras - centenas de milhões de dólares a mais - foram bem gastos)

Assim a situação começou a ficar arriscada.

A telemetria indicava que os pneus do bólido de Hamilton não aguentariam
tal pressão.

Uma parada se fez necessária para tentar equilibrar o jogo.

Sebastian passou reto por uma, duas, três voltas.

Terceiro ato.

Quando finalmente saiu do box, não havia mais nada a sua frente.

Toto Wolff tentou quebrar a mesa com seu punho.

O carro de Vettel se entendeu com os novos compostos.

A troca também fez bem para Bottas e Raikkonen e ainda fez surgir uma
Red Bull, de Max Verstappen, no horizonte.

Para Lewis foi um desastre.

Sua flecha de prata rejeitou a nova borracha.

Após a corrida, Wolff admitiu a dificuldade de lidar com o atual produto
da Pirelli.

Por outro lado a Ferrari de Vettel pedia mais.

Monstro.

Venceu.

Com uma diferença de mais de 20 segundos sobre Raikkonen.

Marcando território sobre o amigo.

Entre as dificuldades, Kimi teve que economizar combustível.

A Mercedes acusou o golpe.

Pela primeira vez, após três temporadas dominantes, precisou andar no
limite o tempo todo.

Na ponta da faca.

Sem a segurança da vantagem de um ou dois segundos sobre seus inimigos.

Quando sempre poupava tudo.

Sem riscos.

Os problemas não são mais exclusivamente internos.

O inimigo agora é outro.

Faminto e perigoso.

Novos tempos que pedem uma adaptação urgente.

A próxima etapa na China tende a favorecer os longos carros de Bottas
e Lewis.

(e que bom trabalho fez o substituto de Nico Rosberg!)

O campeonato é uma maratona.

Vamos ver se Rory Byrne, Simone Resta, Mattia Binotto, Enrico Cardile e
Lorenzo Sassi vão conseguir continuar desenvolvendo o poderoso SF70H.

Do outro lado, James Allison e Aldo Costa tentarão demolir sua antiga casa.

A corrida armamentista já começou.

Não dá pra imaginar quem irá vencer.

Mas estou gostando.

Muito.








18 comentários:

juniorcaixote disse...

Olha Corradi, sinceramente, se o Lewis conseguisse voltar de cara pro vento, gostaria de ver como seria... Voltou atrás do Verstappen...

Vinicius Sena disse...

e o stroll que tu defendeu bastante nos ultimos dias? nem uma linha sobre o desempenho pifio dele?

S.A.C disse...

Muito boa sua analise, que bom, pensei que entraria aqui lendo que pintou o campeão mas concordo com tudo

Társio disse...

Agora aguenta o Corradi! rsrsrsrs

Será interessante a disputa Mercedes X Ferrari. As impressoes dos testes se concretizaram. Ambas maquinas são muito equilibradas e suaves de guiar. Vendo os onboards de Vettel e Hamilton ambos guiam no limite sem brigar com o carro. Porém a Ferrari tem vantagens nos pneus...

Após o pitstop, Hamilton saiu atras de uma Sauber e do Verstappen (mais uma cagada homerica dos estrategistas da Mercedes, o que em nada tira o brilho da vitoria da Ferrari). Hamilton logo passou a Sauber, mas o Verstappen não conseguiu passar. Apos os pits do Verstappen, fiquei prestando atencao no Hamilton para ver se a Mercedes ainda tinha "reservas" de potencia, mas não. A vantagem acabou!! Ele já estava no limite e o Vettel voltou 6s a frente, com pneus mais novos.

Mas a corrida foi chata! Voltamos a F1 dos anos 2000.

Se isso será bom ou não só o tempo dirá.

Abç
Tarsio

Jefferson disse...

Ótima vitoria para os vermelhos e para o esporte.
A vantagem ja esta diminuta.
James fez o projeto vermelho, melhorará o prateado tambem.
Mas cuidado para não escorregar na saliva.
Kkkkkk

Marques disse...

Excelente Corradi, concordo com tudo.
Essa temporada promete ser sensacional.
E muito boa essa foto, Hamilton pareceu conformado com o segundo lugar, sabia que não tinha carro pra vencer, fez milagre na classificação mas na corrida não deu.
Parece que finalmente teremos uma disputa entre os dois!

Marques disse...

Outra coisa, a imprensa "especializada" está num chorume espetacular.
Se o carro é lento reclamam, se é rápido reclamam. Tinha muitas ultrapassagens, eram banais. Tivemos poucas, porém bonitas, também tá ruim.
Pqp.

Jeferson Araujo Pereira disse...

Como é bom ver uma Ferrari vencendo novamente! Demorou, mas a superioridade da Mercedes foi abalada.Ainda é muito cedo para quantificar esse abalo, mas a Ferrari é um carro bem nascido e vai incomodar a Mercedes em todas as corridas.

Jornalistas que se julgam a última bolacha do pacote estão escrevendo que a Mercedes errou feio ao chamar Hamilton tão cedo para trocar pneus.Dá até pena ler tanta estultice.A telemetria indicava que com mais duas ou três voltas aqueles pneus iriam falecer.

Daniel Chagas disse...

Quero esperar o GP da China para eu comentar certas coisas. Da Williams, Mclaren, Renault e da qualidade das corridas especificamente. Mas o que já dá para concluir é que vamos ter uma disputa ferranha entre Mercedes e Ferrari. Uma corrida dentro e fora das pistas, pois quem será que gastará mais dinheiro durante o ano para desenvolver os carros? Quem será que vai vencer? Vettel ou Hamilton? Teremos uma disputa!

Carlos Colangelo disse...

Na boa que achei a corrida muito ruim... Depois da rodada unica de pit stop, nao aconteceu mais nada...

Nao estou entre os que reclamavam da velocidade dos carros ano passado, e acho que esse ano podemos ter um campeonato disputado com corrida ruins

Charles disse...

Corradi, desculpe mais, o Vettel só vence porque a Mercedes errou no timing do pit do Hamilton, se tivesse mandado ele pro pit uma volta depois do Vettel entrar, ele voltaria emparelhado ou seguramente na frente, e mesmo se o carro do alemão fosse mais produtivo, com as configurações atuais seria impossível de ultrapassar. Não teve trabalho de maestria nenhum dos vermelhos na vitória, teve sim, erro monstro de estratégia da mercedes benz

Richard Oliveira disse...

Boa análise, entretanto a corrida foi morna para frio.
Se na China se confirmar a dificuldade de ultrapassagem, as corridas serão definidas na largada e ultrapassagens serão feitas pela estratégia.
Vai ser um pé no saco.
Enfim, a estratégia da Mercedes definiu a corrida.

David Félix Krapp disse...

E o Stroll repetindo Maldanado e Gutierros... que beleeeeezaaaaaa...

Jacinto disse...

Eu também achei que o Vettel foi brilhante. Existem algumas sutilezas que às vezes passam despercebidas. O Vettel dirigiu por 17 voltas atrás do Hamilton, no ar turbulento que todos dizem prejudicar sensivelmente o desempenho do carro, a mesmo assim:
a) Nestas 17 voltas, o Hamilton nunca conseguiu abrir grande margem de vantagem sobre o Vettel apesar de estar correndo com ar limpo.
b) Apesar de pilotar tão rápido quanto o Hamilton, Vettel administrou melhor seus pneus, o que lhe permitiu ficar mais tempo na pista.
c)Quem cuidar de verificar a evolução dos tempos que os pilotos estava fazendo vai perceber que na volta 14, o Hamilton girou 1.29.037 (os pneus já estavam desgastados)e o Vettel 1.28,69.
d) Na parte final da corrida quem estava no pelotão da frente (Vettel e Hamilton) começaram a ter retardatários. O tempo do Vettel nas voltas em que ele estava atrás dos retardatários não sofreu grande degradação - alguns décimos. Quando o Hamilton pegava os mesmos retardatários, a degradação no tempo de volta era sensivelmente superior ao do Vettel. E isso se repetiu todas as vezes em que um retardatário aparecia.

O que me parece é que a Mercedes sofre mais do que a Ferrari com um ar turbulento...

Plinio disse...

Tomara que haja uma boa disputa entre Hamilton e Vettel, ja que o campeonato deve ficar nisso. Bottas e kimi formam uma boa dupla de escudeiros com boa vantagem para o primeiro que sempre teve como melhor caracteristisca o bom ritmo de corrida. Quando o Hsmilton se enfiar em alguma encrenca talvez sobre algo pro Bottas.

Carlos Gil disse...

Esta é apreciação pessoal, e como tal é subjectiva

Pontos negativos:
- Não foi desta vez que os GPs deixaram de ser um monótono desfile publicitário.
Ultrapassagens em disputas na pista foi algo demasiado raro, muito raro, as alterações à ordem de partida ficaram por conta das capacidades informáticas dos estrategas, e do serviço das equipas nas boxes.

Pontos positivos:
- O visual dos carros melhorou significativamente.
- A Mercedes não aniquilou a concorrência!
- Esteban Ocon.
- Antonio Giovinazzi.
- Sérgio Perez.
- O circuito de Albert Park ainda tem escapatórias não asfaltadas!
- Ainda há esperança de que nos GPs deste ano possa existir competição (pelo menos alguma) em pista. Afinal o circuito de Albert Park não serve de referência para o resto do campeonato, e as alterações das regras ainda agora começaram a comprovar o que valem.

Conclusão, tenho ainda algum vício pelos GPs, mas a F1 está a conseguir que eu goste cada vez mais de MotoGP (e a prova de abertura serviu de aperitivo para mais um grande campeonato) e dos V8 Supercars.

Anônimo disse...

Interessante que Massa (o 1º dos plebeus) terminou a corrida após 83 segundos da bandeira quadriculada de Vettel. Em média, a Williams foi 1,4 seg mais lenta por volta...

Esta é a distância da elite para o pelotão do meio na 1ª prova do ano. Como chegaremos ao final do ano?

Massa só chegou em 6º devido ao revés de Riccardo nesse fds. Senão, seria 7º com muita honra!

Bottas fez um bom trabalho... Seria "excelente" se trouxesse risco a Hamilton e Vettel!

Aguardamos pelos próximos GPs.

Cleiton

Fabrizio Salina disse...

Acho que o ponto mais interessante suscitado por este post é o fim da reserva técnica da Mercedes. Há três anos os silverados não tomavam um calor de outra equipe.

Ao que parece, a unidade de força da Ferrari atingiu o nível da Mercedes.
O tempo de classificação da Hass indica isso.

No mais, tivemos uma típica corrida de Mônaco em plena Austrália. Se continuar assim, bastará assistir a largada, as dez primeiras voltas, dar um tempo e voltar para a etapa dos pits, e só retornar nas duas voltas finais para confirmar a bandeirada. Uma lástima! Carros bonitos (salvo as tais barbatanas) que não ultrapassam.

Deveriam liberar geral o DRS urgente.