sexta-feira, 26 de maio de 2017

Pequenas Passagens



























A pista de Mônaco é singular.

Obter uma vitória ali é uma conquista que marca a vida de qualquer piloto.

Mítica.

Junto com as 500 Milhas de Indianápolis e as 24 Horas de Le Mans, é o
que há de mais nobre no automobilismo.

Certa vez José Carlos Pace reclamou da sua dificuldade de se entender
com o circuito num dia de chuva.

1972.

"É como guiar um carro de passeio em dia de temporal, sem limpador
de pára-brisa e com o vidro embaçado."

Tenso.

"Caía tanta água que eu não via nada."

Para completar o carro do brasileiro ainda apresentava problemas.

A dificuldade era em um setor específico.

"Por três vezes seguidas, quando eu ia virar o carro não obedecia.

Eu tinha que parar, dar marcha à ré, e voltar à pista."

Irritante.

"Todo mundo devia estar pensando:

Lá vem aquele louco que não gosta de fazer a curva..."




Um comentário:

Eduardo Moreno disse...

A pista de Monte Carlo é tão singular que não cabe mais no formato da f1, no que ela se tornou tecnicamente. Acho injusto uma pista proibitiva para ultrapassagens valer pontos para o campeonato. Deveria ser extra-campeonato, ou algo parecido com a Corrida dos Campeões.