sexta-feira, 29 de setembro de 2017

O Caso Budkowski

























Fatos.

Marcin Budkowski é um engenheiro polonês com larga experiência no
automobilismo.

Iniciou sua carreira com a Peugeot.

Passou pela Prost Grand Prix em 2001.

Na Ferrari trabalhou por cinco anos com James Allison até 2007.

Depois se mudou para a McLaren onde permaneceu até 2014 quando foi
substituído por Peter Prodromou (ex-Red Bull) e sua equipe.

Sempre na área da aerodinâmica.

Nos últimos dois anos ele fez parte do staff da FIA.

E no início desta temporada assumiu o posto de Chefe do Departamento 
Técnico da Fórmula 1 no lugar de Charlie Whiting.

Pois bem.

Agora Budkowski está deixando seu posto e indo ao mercado.

O que está deixando as escuderias da categoria máxima do automobilismo
em polvorosa.

A razão é que o ex-diretor sabe tudo o que as equipes estão planejando
para a próxima temporada.

(havia necessidade de sua aprovação técnica)

E ele conhece em detalhes todos os segredos dos atuais carros da Fórmula 1.

Pela lei trabalhista, apenas três meses separam todo esse conhecimento ser
adquirido por um dos times.

Para onde Marcin Budkowski vai?

Ao ser questionado no grid de Singapura, ele não respondeu.

A especulação indica ser a Renault o seu destino.

Temos um novo elemento no jogo.

Um coringa que pode mudar muita coisa.

7 comentários:

Anônimo disse...

Parece que a lei de "reforma" vai de 6 meses a um ano. E neste caso como ele sabe tudo de TODAS as aquipas essa paragem pode mesmo ser de um ano, ou seja, só lá para fim de 2018 poderá trabalhar numa equipa.
Inclusive, a FIA já comunicou a todas as equipas para não enviarem nada dos projectos dos carros para 2018 a Budkowski.

Paulo Alexandre Marques

Iman miranda disse...

Por isso Fernando Alonso (Que gosta desse tipo de coisa) ainda não fechou com a Mclaren.
Ele e a Renault tem ligações profundas.

Társio disse...

Ontem circulou uma foto de uma reuniao com todos os chefes de equipe menos da Renault, logo...

Tenso isso. Se a FIA/Liberty permitir que ele siga para a Renault, é porque existem forças ocultas desejando que a Renault cresça e apareça.

É o jogo da F1, sempre foi assim. Mesmo agora sem o Bernie...

Abç
Tarsio

Eduardo Casola Filho disse...

Paulo, sobre essa lei, o contrato do Budowski foi feito na Suíça e, de acordo com a legislação desse país, o período de reserva é de apenas três meses. Logo, ele estaria livre logo no começo do ano.

Ainda há pano para manga nessa história

Dante disse...

Entendi. É a FIA/Liberty que decide onde as pessoas vão trabalhar!

Richard disse...

Ele vai para a McLata

Paulo Heidenreich Junior disse...

Por isso que o automobilismo está ficando tão chato. Quanto mais tecnologia e equipamentos que necessitem de planejamento a médio prazo, mais será a disputa de segundo plano. Saudade da época em que chassi, motor e piloto eram o diferencial.