segunda-feira, 7 de julho de 2014

Rascunho - Nova Força




























Flavio Briatore.

Figura sempre atenta aos comandos de Bernie Ecclestone.

Hoje outro personagem parece exercer esse papel.

Um novo assecla.

Colin Kolles, o consultor por trás da compra da Caterham.

Os investidores continuam nas sombras.

Mas a gente sempre pode ir um pouco mais fundo nessa história.

O Tordo me deu sua opinião.

"A turma que está investindo na Caterham tem tudo a ver com a tal Forza
Rossa.

Talvez as duas equipes utilizem a mesma estrutura em Leafield num primeiro
momento.

Como irmãs.

Uma coisa tipo de Red Bull / Toro Rosso.

Isso num primeiro momento, repito.

O segundo e derradeiro passo seria surgir com um projeto único, mais forte.

Parecido com o que Briatore fez em 1994 com a Ligier e Benetton.

Podemos estar vendo o nascimento de uma nova força (de verdade) no grid."

Você já deve saber que a Ferrari ofereceu uma fábula para contar com Ross
Brawn na próxima temporada.

OK.

Interessante que, após esse movimento, a Scuderia Italiana passou a recrutar
peças específicas de material humano no paddock.

Os alvos (especialistas) estavam principalmente na Red Bull (aerodinâmica e simulação)
e na Mercedes (unidade de força).

Olhando as mudanças e cabeças que estão rolando, digo que Marco Mattiacci
começou a mandar de verdade na Casa de Maranello.

Falando nisso, Kimi deverá correr na Alemanha.

Porém o finlandês não vai participar dos testes da fórmula 1 em Silverstone.

Ainda sobre o circuito inglês, os troféus vermelhos entregues pelo Santander no
pódio eram de plástico e estavam desmontando nas mãos dos pilotos.

Um vexame.

Uma pergunta:

Com a mudança do motor Renault para Mercedes, o lugar do francês Romain
Grosjean pode estar ameaçado dentro da Lotus?

Por fim.

Sobre Monza, entendi que o dinheiro apareceu e a prova continua no calendáro.

5 comentários:

Gui P.Roscito disse...

Olá Corradi!
Já faz um tempo que eu diariamente passo por aqui para saber das noticias.

Gostaria da sua opiniao e dos amigos leitores sobre uma coisa que me intriga desde 1995.

Os pilotos brasileiros pós-Senna são ruins ou azarados?

Não é possivel as coisas que acontecem, vou dar alguns exemplos...
Barrichello sofreu no 1º ano de Stewart, no 2º foi entregue um carro muito bom,e ele era o lider do time, mas o que acontece?
Na prova onde tudo deu certo para equipe ele fica em 3º e Hebert conquista a vitória.

Esse ano, Massa tem tudo para ser pelo menos o 1º depois das Mercedes e o que acontece?

Problemas, acidentes e tocos do companheiro...

O que acontece na sua opiniao? Falta de vontade? Azar? Deficiencia técnica?
Com todos os pilotos brasileiros???

Um abraço,
Guilherme Roscito

Humberto Corradi disse...

Gui P.Roscito

Massa e Barrichello são ótimos pilotos.

Mas para brilhar na Fórmula 1 (ser campeão)é preciso ter alguns predicados.

Acho que falta uma ou outra qualidade pra colocá-los acima daquela linha que os separa dos fora de série.

Nada a ver com azar.

Valeu



Carlos Gil disse...

Caramba Corradi,

Colin Kolles de regresso à F1!
O circo vai estando cada vez mais mal frequentado.
Aindoa vamos ter saudades do Flavio Briatori, e chamar o Bernie Ecclestone de exemplo de ética.

CG

Anônimo disse...

Dois pequenos comentários:


* Caterham & Forza Rossa

"Uma coisa tipo de Red Bull / Toro Rosso."

Quer dizer: Uma NANICA e uma NANÍCULA?



* Troféus de Plástico

No pódio, logo antes da primeira pergunta de David Coulthard na entrevista protocolar ao trio de pilotos, Lewis Hamilton reclamou do desmanche dos vermelhinhos e disparou em alto e bom som: "Where is my golden trophy?"

Depois ele recebeu o dourado:
==>> http://gpupdate5.ed5.nl/news/247915.jpg



um abraço,
Renato Breder

Prof. Rafael disse...

Essa foto pode ser ilustrada com a música da abertura do Fantástico: "ah-uh-uh-ah/ ah-uh-uh-ah"