quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Rascunho em Questão









































Vinho?

A Red Bull se movimenta para manter Sebastian Vettel.

Comentamos que a equipe estava nas trincheiras para segurar seu piloto.

A McLaren vai com tudo.

(quer uma estrela em seu carro pelo menos por três anos)

Mas pelo contrato o atual campeão mundial pode anunciar sua mudança a qualquer
momento.

Fernando Alonso também segue na mira de Ron Dennis.

Com a proposta de Woking nas mãos, ele negocia com a Scuderia Italiana.

O espanhol seria uma reserva.

Pois estaria liberado somente em 2016.

Sua hesitação em renovar com a Ferrari é uma pista.

Jenson Button, caro e sem mercado, pode ficar sem lugar na próxima temporada.

Seu salário é absurdo para a Williams.

E suas exigências de adiantar vencimentos fazem a Lotus recuar.

(lembre-se: Raikkonen até hoje não recebeu)

Lewis Hamilton?

O nome ainda soa bem para o chefe da McLaren.

(a conversa com Bottas não evoluiu e o finlandês continua na Williams)

Porém eu não ficaria surpreso com uma dupla (de transição) formada por
Vandoorne e Magnussen no primeiro ano de retorno da Honda.

O Tordo diz que em Cingapura teremos respostas.

Por fim um pensamento.

Quantos sonharam em Rubens Barrichello enfrentando Michael Schumacher
na Ferrari?

Quantos gostariam de ver Felipe Massa roda a roda com Fernando Alonso?

Submissão total em ambos os casos.

Claro.

Cada um sabe de si.

E Nico Rosberg com Lewis Hamilton?

Só críticas.

Mas...

E se Nico fosse brasileiro?

13 comentários:

Anônimo disse...

Pois é Corradi, se o Nico fosse brasileiro já teria virado um novo Senna.

rsrs

Abraço!

Mauro Santana
Curitiba-PR

Fabio disse...

Existem pessoas criticando? Não vejo Hamilton como um piloto completo, é muito bom (está entre os melhores em habilidade), entretanto, não é forte psicologicamente como Alonso, Prost, Senna, Schumi, etc. Neste quesito ele está mais para Massa (fraco psicologicamente) do que para um desses supra citados. Principalmente, pq ele acreditou que seria mais fácil ser campeão do que em 2008. Torço pro Rosberg (que sempre comeu quieto), não pq ele é o mais fraco em habilidade (como torci para Webber), mas sim pq ele é surpreendente.

Al Unser Jr. disse...

Baaaahhh, essa do "Queimarosberg" é fácil... não teria Papa interrompendo corrida, treino completão, até treinos da sexta-feira com direito a Brasil-sil-sil teria a cada volta mais rápida, enfim aquela babação de ovo costumeira e o povoão aplaudindo.

Blog do Júlio disse...

Camarada Corradi, vou também tecer meus comentários acerca do mercado de pilotos (somente alguns pilotos):

1) Vettel vai para o Ferrari, com toda a certeza! Isso se ele não aceitar o pedido de Bernie de ir para a McLaren. O problema é que a Mercedes quer uma dupla alemã, e conta com o tetra-campeão para isso. Mas o mais provável é que ele cumpra seu compromisso com a Red Bull em 2015;

2) Hamilton vai embora da Mercedes. Para a McLaren, a pedido dos japoneses. Só que sem o cachorro dele. Como ele gosta do cachorro, vai preferir aceitar a proposta da Ferrari. A menos que a Red Bull permita que ele faça mais uma tatuagem. Mas ele deve se acertar com a Mercedes e continuar no time;

3) A dupla da McLaren vai continuar a mesma, a menos que algum (ou ambos) dos pilotos seja trocado;

4) Bottas vai para a Mercedes no lugar de Hamilton. Se ele sair, claro. Se não, deve ir para a McLaren. Ah não, peraí... ele vai continuar na Williams por causa do motor, que é Mercedes. O empresário dele (Toto Wolff) não vai querer ele correndo com outra marca de motor;

5) Alonso é o caso mais simples de todos: continua na Ferrari. Exceto se a equipe não for campeã. Nesse caso, ele fica livre do contrato. Aí ele pode ir para a McLaren, exceto se a proposta da Red Bull for melhor. Mas se a Mercedes o quiser, ele vai preferir ir pra lá, porque nunca correu em equipe alemã e quer ver como é;

6) Raikkonen também continua na mesma equipe, seja ela qual for. Exceto se resolver abandonar a F1;

7) Hulkenberg não deve seguir na Force India: o caminho dele deve ser continuar na Force India;

8) A Telmex deve continuar a apoiar um piloto mexicano, em alguma equipe da F1. Este piloto pode ser Pérez, Gutierrez, ou algum outro nome como Pancho Villa, Gonzalez, Herrera ou Rodríguez. Mas ela também pode apoiar um piloto de outra nacionalidade se isso for bom para a plataforma de negócios da empresa, como Fittipaldi (que já recebe apoio da empresa), Vandoorme (que não recebe mas, se fechar um contrato com eles, pode receber) ou qualquer outro nome. Essas situações só não vão acontecer se a empresa resolver sair da F1;

9) Nas equipes nanicas não haverá mudança de pilotos. Piloto Pagante continuará pilotando para Caterham e Marussia. Exceto se essas equipes encerrarem suas atividades. Ou se ganharem na Megasena de Natal;

10) Maldonado pode abandonar a F1. Mas, se continuar (o que é muito provável), deve continuar usando o número 13. Exceto se achar que é isso que tá dando zica. Nesse caso, pode pedir para trocar o 13 por outro número. Dificilmente será aceita a troca pelo número 1. Exceto se for aceita.

Utilizei meus conhecimentos em estatística, cálculo de probabilidades e teoria dos jogos e fiz as contas: minhas chances de acertar o cenário descrito são de, mais ou menos, cerca de exatamente 120%.

Anônimo disse...

Se Nico fosse brasileiro, estaria fazendo tudo "certo". Brasileiro gosta é da vitória, não importa como.

Marques disse...

Absolutamente nada a ver o fato de Rosberg ser alemão. O problema é tirar o adversário da corrida e não ser punido. Sem apelações, essa necessidade de justificar tudo o que o cara faz é absurda.

Vamos aos fatos:
- Usou mapa de motor maior no Bahrein. Lewis usou na Espanha, mas Rosberg usou novamente em Monaco e se recusou a mudar quando instruído.
- O "erro" em Monaco.
- Dizem que Hamilton defende duro, joga o carro e bla bla bla, mas no Canadá, quem espalhou na largada e colocou o companheiro na grama? Não vi Hamilton batendo no companheiro, ele recolheu, como deveria ter acontecido na Bélgica.
- Na mesma corrida, o cara erra acelera tudo ganha uma vantagem nítida (e não adianta dizer que devolveu, devolveu onde não interessava, acabou com o momento do adversário) e não é punido.
- A ridícula não entrada do SC na Alemanha (as únicas pessoas que defenderam aquilo são os que não gostam do Hamilton ou jornalistas que apostaram em Rosberg como campeão)
- E por fim agora na Bélgica, onde um comissário da FIA disse que levou 10 segundos para não punir. Ou seja, nem olhou os onbords. Um lance que é CLARA a culpa do alemão, não tem discussão, ele PODERIA ter evitado o toque, escolheu ver o que acontecia e não foi punido, de novo.
- Não preciso nem citar os problemas mecânicos.

Pronto tá aí os motivos das reclamações acerca do alemão, que dizem ser frio e quieto, e não é, tanto não é que ficou remoendo o fato de Hamilton não ter acatado as ordens de equipe. Ah nesse caso também, quando Vettel não obedeceu era porque ele tinha fome de vitórias, nesse caso Hamilton era empregado e tinha que baixar a bola né?

Alfredo Aguiar disse...

Corradi!
Ainda bem que você não é juiz criminal. Tipo roubo é roubo, seja um banco seja um pacote de manteiga, seja armado com uma uzi seja armado com uma mão suja e calejada pelas inconveniências da vida.
Uma coisa é não aceitar o faster than you, outra é vou ganhar essa parada, por bem ou por mal.
Mas se você acha bonitinho e elegante o que os vendidos massa e rabichello fizeram pela história do automobilismo brasileiro e da F1. Gosto é gosto, viremos a página. Até porque em poucos anos, por mais que os supra citados queiram aparecer, serão completamente esquecidos. Como qualquer desportista medíocre!!!
Um abraço.

Társio disse...

Interessante hoje. A Mercedes fez um Quiz pelo twitter acerca das ordens de equipe.

Primeiro quem prefereria os pilotos lutarem entre si (92%) contra 8% dos que preferiam ordens de equipe.

Depois num segundo momento questionaram que em caso da equipe manter os pilotos livres para brigarem entre si, quais deveriam ser as punições em caso de "se tocarem" como rolou em Spa.

E caso optem por ordens de equipe, quais deveriam ser os criterios a ser seguidos.

Onde será que querem chegar com isso?

Daniel Chagas disse...

Uma dupla de pilotos competitivos é como a da Mercedes, eu não critico, pelo contrário,eu elogio. Chega de pilotos submissos e medrosos. E digo mais, se a Mercedes perder o campeonato ( o que acho bastante difícil) para Daniel Ricciardo vai ser do jogo. Competição é isso, tem disputas, brigas, as vezes toques inesperado e esperados etc... Só pelo fato de ter uma disputa interna e a equipe e pilotos ( Nico e Lewis) permitirem isso já estou feliz. São Racers!!

Migdonio disse...

Tá começando a rolar uma "pachecagem britanica" nos comentários desse blog.
Dizer que o Rosberg bateu de propósito ou dizer que o Rosberg esta sendo desleal é muita falta de noção.
Para quem viu Senna, Prost, Piquet e Mansell essa "briga" desse ano parece uma discussão de irmãos.

Anônimo disse...

BAH...tá cheio de Mãe Dinah aqui.... Depois que acabar a temporada vou convidar meus amigos pra virem aqui rir desses videntes.

Ron Groo disse...

Mas há brechas no contrato do Alonso que permite que ele saia antes.
Só uma dúvida: Os dois nos cocpits de Ron Dennis não rola?

Humberto Corradi disse...

Groo

Acho que a grana seria apenas para um deles.

Penso assim.

Valeu