terça-feira, 17 de novembro de 2015

Rascunho de Tamanho































Sempre ácido e perspicaz.

O talentoso Riko.

GP Brasil?

Não foi lá essas coisas.

Entretanto parafraseando Barbosa.

A pior corrida de Fórmula 1 é preferível à melhor partida de Futebol.

Sempre, OK?

Difícil analisar esse final de temporada.

Porque as coisas estão decididas.

Williams em terceiro.

Force India em quinto.

O que chama atenção é o desempenho de Nico Rosberg sobre Lewis Hamilton.

Claro, não vale mais nada.

Mas o filho de Keke, após ações miseráveis de pasmaceira, parece ter adquirido
uma nova atitude.

E como criticamos Nico pela falta de atitude!

Um Rosberg mais agressivo era tudo que queríamos.

Espero que ele tenha reencontrado o desejo de viver.

Ou, melhor, vencer na Fórmula 1.

Toto Wolff acha que o piloto alemão aprendeu com os erros.

Existe outra teoria também.

Que a Mercedes retirou certos privilégios de Lewis.

Com as coisas mais equilibradas, Rosberg se aproximou.

(lógico que o talento natural do inglês é inegável)

E se tudo isso for realidade?

Aí teremos um 2016 mais disputado e alegre!

De qualquer forma, Hamilton precisa ser menos arrogante e reconhecer
as qualidades de seu companheiro.

Inventar desculpas a cada derrota e ainda desmerecer Nico acabam por
diminuir seus próprios títulos.

A imprensa está fazendo alarde sobre a mudança da Tag Heuer.

A famosa marca de relógios está trocando a McLaren pela Red Bull.

Terminando assim uma parceria de 30 anos.

Calma.

A Tag Heuer pertence ao grupo Louis Vuitton.

O mesmo grupo que colocou a marca de vinho Chandon nos bólidos da
McLaren nesta temporada.

Entra um e sai o outro.

Pra mim nada mais que uma ação estratégica de imagem com seus produtos
dentro do mundo da Fórmula 1.

Ainda McLaren.

A mudança de pensamento de Jenson Button em relação a sua aposentadoria
pode ter muito a ver com o lado dos negócios.

Não estamos falando somente de ganhos salariais.

Button investe muito no projeto de promover um jovem piloto inglês para seu
lugar na McLaren.

Talvez aí esteja a verdadeira razão do bloqueio da ascensão de Vandoorne e
Magnussen dentro da equipe de Woking.

Falando nisso.

Apesar de ter ido muito bem nos testes com a Porsche, Kevin Magnussen
ainda sonha com a categoria máxima do automobilismo.

Como bem lembrou Breder certa vez, se a PURE de Craig Pollock trabalhou
direitinho, a F1 já possui o seu motor alternativo.

Com a chegada de Stroll na Williams, Adrian Sutil não sabe ainda como será
seu futuro após o fim de seu contrato com o time de Frank.

Passou em branco.

Sebastian Vettel bateu o recorde de pódios de um piloto estreante na Ferrari.

A marca anterior pertencia a Kimi Raikkonen.

Por fim.

Assim como a McLaren Honda fez, a Renault está sondando o mercado atrás
de um piloto de primeira linha para comandar seu retorno.

A marca francesa esteve reunida com Fernando Alonso em São Paulo.

Pra começar, o piloto espanhol mostrou sua pedida salarial.

O valor foi considerado alto pelos franceses.


13 comentários:

Anônimo disse...

Em relação ao que foi dito no inicio do post, subscrevo totalmente.
Existem n de individuos que criticam os GPs por falta de emotividade, por serem uma grande seca, sem ultrapassagens... mais vale ver o DTM, WTCC, os V8 australianos, WEC, o MotoGP, corridas de bicicleta ou de trotinetes...
Ver um GP de F1, para mim vale mais que ver oura qualquer coisa. Uuma corrida qualquer de GTs pode ter ultrapassagens sem fim, lutas esmeradas de cortar a respiração... mas no fim, nem conheço quem ganhou. Passado 1 hora já me esqueci disso.
Num GP de F1 quero e sei ver todos os pormenores. Reconhecer um fabuloso 8º lugar do piloto x, saber que o piloto y igualou Jim Clark em vitórias, que aquele circuito á 40 anos era um pouco diferente dos dias de hoje... etc, etc, etc.
A F1 tem pedigree, tem história, tem carisma. Mais nehnuma modalidade automobilistica se aproxima dela em practicamente todos os parametros.

Como sempre disse e que os meus amigos mais chegados não compreendem/aceitam, se fossem á mesma hora, prefiro ver o GP do Barhein, Azerbeijão ou da Conchichina na sua totalidade do que a final do Mundial de Futebol...
e eu que até aprecio o Futebol...

Paulo Alexandre Marques

Fried Eggs disse...

Talvez não seja à toa que o pai de Lewis disse há um ano que em 2015 o filho seria campeão com mais facilidade que em 2014. Os privilégios seriam clausulas contratuais?
Lewis segue os passos de seu ídolo na arrogância, prepotência e auto promoção.

Marques disse...

Fantástico esse Rosberg... Ganha quando não vale nada. Quando valia andava atrás de Vettel que tem um carro muito inferior. Toda vez que tem um brilhareco começam essas histórias. Foi assim ano passado inteiro, foi assim esse ano quando ganhou na Espanha, etc. Foi impiedosamente surrado quando ainda valia algo. Sobre a corrida, Hamilton teve duas boas chances de passar mas nas duas foi atrapalhado por retardatários. Uma por Grosjean e outra por Verstappen. E ao vivo do lado da pista, era visível a dificuldade de ultrapassagem. Até para passar os que iam tomar uma volta era sofrível, o que corrobora o que todos os pilotos falam desde o início do ano, que não tem como seguir o carro da frente por causa da forma que a asa dianteira foi desenhada. A diferença é que quando Hamilton está na frente Rosberg dificilmente chega perto para oferecer um risco verdadeiro, quando é o contrário sempre tem algo. E é essencial que se reclame e clame por algo diferente, se Rosberg não fez isso durante o ano isso nada é mais um motivo que demonstra pq ele não é campeão. Quando o tetra campeão reclama é pq ele tem vontade de vencer, quando o tri e o bi reclamam é pq são arrogantes...
No autódromo, lá a corrida não foi nem um pouco chata. Interessante foi ver a torcida que Hamilton tinha, maior que pra Massa até.
Ademais muito interessante ouvir os dois maiores campeões da atualidade cobrarem mudanças aos dirigentes do esporte, reclamando abertamente da politicagem que envolve o esporte.

Arthur disse...

...ou o Rosberg ganhou alguns privilégios afim de garantir o vice, como foi dito por Toto Wolff, que era a prioridade depois de conquistar os 2 campeonatos...

Ron Groo disse...

A charge é perfeita.

O restante do rascunho também.

Renato Santos disse...

Obrigado por compartilhar, torna-nos privilegiados, amigo Corradi.

Claudio De Agosto disse...

Desprezo provoca a arrogância do Hamilton, um gênio no cockpit e um retrasado fora dele. Proposital? sera marketing ao estilo Benetton dos anos 90, sempre provocando polemicas?

A manipulação de resultados da Mercedes, garantindo 1 e 2 no campeonato. enquanto simultaneamente dava, nas ultimas corridas, uma turbinada com NOS> na imagem do Rosberg para que nos tontos otimistas acreditemos que 2016 sera hiper emocionante, é uma palhaçada muito grotesca.


Seria mais fácil, honesto, crível, respeitoso com os fans, bom para a Mercedes e para a F1, colocar no outro carro um piloto que de fato possa desafiar o Hamilton, pelo menos na parte psicológica. A Redbull e a Toro Rosso tem pelo menos 2 candidatos, alem do Bottas e Alonso que e capaz de ser piloto pagante um ano se tiver chances de titulo.





Fabrizio Salina disse...

Esporte que não gera assunto, é preciso inventar.

Gilmar Meinerz disse...

acredito na história de garantir o vice do Rosberg desde a controvérsia da troca de pneus no México. Passando pela mudança na estratégia no Brasil. As duas, incontestavelmente muito mais para manter a situação que estava do que pelo perigo de ser desafiado pelo terceiro colocado. Soma-se a isso a declaração de que "a equipe faz muitas mudanças para deixar Nico satisfeito", declaração feita quando o campeonato está decidido e não há nenhuma vantagem em falar isso ao público.
Vejo muito boa vontade em que Nico seja um sério desafiante ao título. Não é. A equipe sabe, os adversários sabem. Se 2016 for disputado com outro combatente fora do mundo mercedes, Nico não será o vice campeão. Podem dizer que é pela equipe, mas não dá pra ignorar que a equipe tem todos os dados e sabe quem realmente pode ser o competidor mais completo pelo WDC.

David Félix Krapp disse...

Rascunho interessante...

Paulo Alexandre concordo com vc em tudo mesmo sendo apaixonado por futebol, eu sou o unico da turma que assiste F1, NBA, NFL... enfim eu amo esporte...

Fried Eggs, menos por favor, beeeeeem menos...

E estou de acordo com o Ron Groo... charge perfeita

Tiago disse...

Esse foi um belo rascunhao.

O Hamilton tá de férias já, por isso que a Barbie está tendo os brilharecos. Ano que vem será, novamente, pulverizado.

Sobre a Mc Laren, também acho que fossem Magnussen ou Vandoorme ingleses, já estariam correndo. Até o Webber aceitou nao prolongar a carreira quando ficou claro que seria o Sorriso Kolynos que o substituiria... Meio triste isso.

Adrian Sutil na Williams, na minha opiniao, é o mesmo que o De La Rosa quando estava na Ferrari; O que esse cara está fazendo aí??

Quanto ao Alonso, ele está se afogando nas proprias decisoes ruins. Aparentemente foi oferecido pra ele voltar pra Enstone inclusive como acionista da empresa. Rejeitou. Repetiu os erros do passado. Agora pode voltar pra Enstone pela terceira vez, entrando pela porta dos fundos, a única porta que está aberta pro grande piloto que ele é. Pra quem acusava o heppenheimer de só conseguir ganhar em uma equipe, nao deixa de ser ironico, nao é?

Peacemaker45 disse...

A PURE desenvolveu motores?!

Acho que não. Pelo que eu lembro ela abandonou o barco quando entro V6 na história. Ela ia fazer 4 em linha.

Fried Eggs disse...

Caro David Félix Krapp, só digo o que tenho certeza e só falo sobre o que vi ou ouvi pessoalmente. Se digo que uma pessoa não flor que se cheire é porque tenho ótimos motivos para isso.
Nunca entro no mérito da idolatria ou questões emocionais.
Grande abraço.