segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Opções - Villeneuve e Massa



























Interessante pedaço da história.

Jacques Villeneuve revelou outro dia que recebeu uma oferta da McLaren através
de Adrian Newey após seu título mundial de 1997.

Mas houve outras sondagens.

Na metade do ano 2000, Ron Dennis voltou a carga sobre o piloto canadense.

A conversa era para o ano seguinte, 2001.

Mas nada foi escrito no papel.

Já com a Renault a coisa foi diferente.

Flavio Briatore já havia procurado o filho de Gilles em nome dos franceses.

Briatote estava autorizado a oferecer trinta milhões de dólares por três anos
de contrato.

Villeneuve chegou a colocar condições para aceitar o trato.

Sendo uma delas ter Giancarlo Fisichella como companheiro.

A coisa ficou muito próxima de se concretizar.

Entretanto Craig Pollock (seu sócio na BAR) o convenceu a permanecer
com um salário maior que o oferecido por Briatore e a Renault, claro.

Durante a temporada de 2001, Ron Dennis tentou convencer a Mercedes
sobre trazer Villeneuve para Woking.

Mercedes?

Sim.

Explico.

A Mercedes sempre bancou os pilotos da McLaren durante o período em
que forneceu motores para a escuderia inglesa.

Mas a pedida de Jacques foi muito alta para os alemães.

Quase vinte milhões de dólares anuais (salário da BAR na época).

A ideia da Mercedes era apostar num piloto mais jovem criando um vínculo
mais duradouro.

Seguindo este pensamento, o dinheiro se moveu para que a McLaren retirasse
a jovem promessa Kimi Raikkonen da Sauber.

Peter Sauber embolsou mais de vinte milhões de dólares para liberar seu prodígio
e Kimi acertou um salário de pouco menos de dez milhões de dólares anuais.

Todos ficaram felizes.

Percebeu que Jacques Villeneuve não correu pela Renault e pela McLaren naqueles
tempos por causa de grana?

Simples.

Diferente do caso de Felipe Massa.

Piloto que dá a entender que nunca recusou nada por conta de dinheiro.

Aqui o motivo é a sedução do vermelho Ferrari.

O brasileiro recebeu duas sondagens que poderiam ter mudado sua trajetória na
Fórmula 1.

A primeira se deu em 2007.

A Red Bull procurava um líder.

Suas buscas se concentraram em uma seleta lista de pilotos.

Fernando Alonso, Lewis Hamilton, Robert Kubica e Felipe Massa.

Tá.

Massa não trocaria a Scuderia Italiana por aquilo, né?

(lembre-se que estamos em 2007!)

Hamilton não passou de uma conversa.

Kubica eu não sei até onde foi.

E para Alonso foi oferecido um caminhão de dinheiro.

Que foi recusado.

(mesmo desfecho da proposta da Red Bull para Schumacher um ano antes...)

Voltemos a Massa.

A segunda chance de mudança se deu no início de 2009.

A McLaren queria dois pilotos fortes.

Massa foi o alvo de Ron Dennis para substituir o fraco Heikki Kovalainen.

A dupla que brigou até a última corrida de 2008 poderia ter alinhado junta
em 2010 na McLaren!

Massa era um boa opção e, melhor, mais barata que Raikkonen.

Como o brasileiro tinha a expectativa da renovação com a Ferrari, descartou
uma mudança para Woking.

Pouco tempo depois (naquela mesma temporada) veio a molada e o resto
todo mundo já sabe.

OK.

Mas vai saber o que poderia ter sido...






















16 comentários:

Gustavo Siqueira disse...

Quais foram as sondagens para Jenson Button para a temporada de 2010? Já que a dupla da McLaren poderia ter sido Hamilton-Massa, para onde poderia ter ido o campeão de 2009?

David Félix Krapp disse...

Olá Corradi,


Que legal esse post, posso te pedir uma coisa... voce poderia fazer uma seção chamado "opções" só com histórias de bastidores contando algumas escolhas que os pilotos ou equipes fizeram ?

Vou te confessar que acho isso muito legal, lembro da história do Bruno Senna e a Mercedes, agora essa do Massa... manda mais.. poderia ser mensal por que creio que é super trabalhoso buscar as minúcias de cada situação... mas eu gostaria de ver mais histórias como essa...

Sensacional o post...

Cristofer disse...

Corradi,


Muito bacana de imaginar o desfecho se algo mudasse em um ponto chave. É muito "Efeito Borboleta"!


Parabéns!!

Anônimo disse...

Como você já disse...

"Algumas coisas simplesmente não devem acontecer"

Fonte: http://f1corradi.blogspot.com.br/2015/07/senna-e-ferrari-1984.html?m=1


Roberto de Carvalho

Humberto Corradi disse...

Gustavo Siqueira

O Button tem a história mais "enjoada" de escrever de tantos detalhes.

Merece um post só dele. Um dia eu conto.

Valeu

Humberto Corradi disse...

David Félix Krapp

Pode deixar que tem muitas histórias para contar. Tenho um arquivo só disso. Às vezes vem um gatilho igual esse do Villeneuve e a gente faz a ligação.

Valeu

LGD disse...

Muito interessante esta história! Valeu.

David Félix Krapp disse...

So lembrando Gustavo que a sondagem a Massa pela McLaren citada acima pelo Corradi foi no começo de 2009... te pergunto, quem era Button em Janeiro de 2009 ? Ele nao era campeao, isso e certeza...

Leandro Legal disse...

Eu gostaria de ter visto o Massa guiando para a Red Bull. Tenho certeza que ele não é pior que o Webber. Vettel teria muita dificuldade para vencê-lo.

Leandro Legal disse...

Jacques Villeneuve fez muito bem em recusar as ofertas de Mclaren/Mercedes e Renault/Briatore. Na Mclaren ele seria derrotado por Mika Hakkinen e na Renault, por Fernando Alonso.

Anônimo disse...

Gustavo, para a vaga da McLaren em 2010, antes de consultar o Button o Ron Dennis consultou o Barrichello!

Só que o brasileiro, vendo que a Brawn não teria cacife para se segurar por muito tempo, assinou contrato com a Williams já no GP da Espanha! Ele ficou desde maio de 2009 com contrato amarrado para 2010. Se não fosse tão afobado, teria corrido por um carro muito melhor.

Abraço,
Diogo.

André Freitas disse...

Muito legais estas histórias. Fico viajando Rsrs. Parabéns pelo blog

Gustavo Siqueira disse...

Bem observado a respeito do Button, David Krapp.

Quanto ao Massa, é uma pena o que aconteceu com ele: o acidente na Hungria/2009; a chegada de um piloto forte como o Alonso em 2010; China/2010; Alemanha/2010; a perda de liderança dentro da Ferrari etc.
Ele ainda é competitivo, visto os resultados dentro da Williams (pódios, pole, boas corridas) contra um piloto jovem e rápido como o Bottas. Ainda acredito que o Massa possa ganhar uma ou outra corrida antes de se aposentar, mas campeonato acho quase que impossível.


Valeu, Corradi.

Vinícius Pontin da Silva disse...

Leandro Legal

Fez bem? Tem certeza?

O cara assassinou a própria carreira com escolhas dúbias e a devoção ao tal Craig Pollock.

Ao menos se tivesse ido pra lá ele teria alguma chance. Lembre-se de que em 2001 o Hakkinen "apagou" e restou ao Coulthard brigar com o alemão. Tá, não é a mesma coisa de ser campeão, mas ao menos teria destaque na categoria, e não seria só mais um "No meio do caminho", como disse o Galvão Bueno no GP da Alemanha de 2003 (fora outros desaforos em outros GPs).

Fabrizio Salina disse...

A impressão que tenho de Villeneuve é de um piloto que poderia ter vencido mais.
Não sei se priorizou a grana ou se fez escolhas equivocadas. Seu temperamento impaciente e falastrão também contribuíram para muitos desgastes precoces. Poderia ter sido o "anti" Schumacher, numa época em que todos clamavam por isto, mas preferiu seguir uma via outsider no grid.
Junto com Montoya e Kubica (este em razão do acidente), poderiam ter escrito o nome na história da F1 de forma mais acentuada. Quando se fala deles, fica sempre um sentimento de histórias sem um capítulo final. Villeneuve ainda foi campeão, mas isso só reforça o sentimento de desperdício de talento.

Anônimo disse...

Corradi, boa tarde.

Tem algum motivo o Villeneuve ter colocado como condição a presença do Fisichella na Renault? Eles eram muito amigos, ou ele achava o Fisico muito bom para fazerem a Renault crescer, ou ele considerava o Fisico um companheiro ideal para ser o segundo piloto?

Abraço

Diego Dias Silva.