sexta-feira, 10 de junho de 2016

Rascunho Open Your World

























Bernie Ecclestone aprontou mais uma.

A cabeça pensante da Fórmula 1 trouxe um patrocínio milionário para a categoria.

A chegada da Heineken promete.

Não só dinheiro (mais de 400 milhões de euros).

Além de patrocinar provas específicas (Monza), existe a expectativa que a cervejaria
ainda ressuscite algum GP tradicional na Europa nos próximos anos.

A marca também estará no comando de divulgação da Fórmula 1 na internet.

Ousadia.

Depois de adquirir visibilidade com a Liga dos Campeões (Futebol), a Heineken adianta
suas tropas sobre o automobilismo numa plataforma que alia negócios (eventos privados)
e a chamada publicidade tradicional.

Lembra da Índia?

Buddh?

Logo teremos novidades (F1).

Raikkonen declara querer ficar mais um ano na Ferrari.

E Minttu (a mulher de Kimi) fala em ter mais um filho.

A Mercedes já iniciou os testes de seu bólido 2017 no túnel de vento.

Ainda sem o halo.

A Pirelli já descobriu como se dá a maracutaia usada na pressão dos pneus.

Suspeitas?

Mercedes e Red Bull (além das filiais Force India e Toro Rosso) são alvos da
Operação Soffiando (eu que inventei o nome).

Red Bull passou no crash test e vai pro Canadá com um bico mais curto.

Mesmo tamanho do usado pela Mercedes atualmente.

Segundo Ricciardo, é tudo ou nada.

"Esta corrida vai nos dizer sobre o resto da temporada."

Por fim.

Fernando Alonso afirma que sua prioridade continua sendo a Fórmula 1.

Porém se nos testes do ano que vem a McLaren não demonstrar força, ele
poderia olhar para outras categorias.

Interessante.

Pela primeira vez Ferdi fala abertamente sobre deixar a F1.

Desde sua entrada na categoria máxima do automobilismo, Alonso coleciona
elogios.

Merecidos.

Apesar da grande sorte no início da carreira ao encontrar Flavio Briatore que
lhe proporcionou o impulso que seu talento necessitava para brilhar.

Interesses, claro.

Briatore havia ganho (de Ecclestone) os direitos de transmissão da F1 na Espanha.

Para valorizar o presente (e aumentar a audiência) nada melhor que cultivar um
herói local.

Anos mais tarde o empresário colheria os frutos vendendo seus direitos por milhões
de euros.

Voltando.

Alonso fala em outra categoria.

Não poderia ser outra escuderia?




















8 comentários:

Fidel Miño disse...

A F1 é um filme de suspense (e do bom) com você, Corradi

Mais a Red Bull vai deixar de lado sua academia pra trazer um piloto de fora? Seria muito legal ver o Ferdi na ponta de novo.

Rafael Vieira disse...

Acabo de ouvir na transmissão da Sky Britânica sobre o interesse da Renault em Felipe Massa, pois querem a sua experiencia e regularidade para a evolução do carro do ano que vem, no entanto ele esta forçando a definição da Williams, pois não quer sair de lá, mas a Renault é quem o quer tb, não o inverso.

Alias, ele acaba de bater, problema na traseira do carro.

mpg Arte disse...

Mas também pode ser essa escuderia em outra categoria, WEC.

LGD disse...

Alonso na Red Bull? Depois de Couthard e Webber só contratou pilotos desenvolvidos por eles, acredito que não irão mudar agora, acho mais provável que ele se retire da F-1 e vá atrás do WEC.

Danilo Candido disse...

Se o Alonso for para a Red Bul e esta (leia-se Renault) acertar a mão, de fato poderá mesmo estar em outra categoria, junto da Mercedes.

UM abraço,
Danilo Candido.

João Oliveira disse...

comparando Mclaren e RedBull, ainda são categorias diferentes hehehe

Társio disse...

A Heineken como parceira da F1 foi uma jogada de mestre. Criticamos muito o Bernie, mas o velho sabe fazer negócio!

Renato Santos disse...

Boiei no Soffiando...