segunda-feira, 29 de maio de 2017

Mônaco - 2017

























Os pilotos da Fórmula 1 são espetaculares.

Passar em altíssima velocidade tirando tinta das quinas de Mônaco deixa
qualquer um boquiaberto.

O final de semana?

Foi um passeio da Ferrari nas ruas do principado.

Primeira fila após a classificação e domínio total num dos circuitos mais
traiçoeiros do planeta.

Kimi Raikkonen foi perfeito no sábado.

Já no domingo, Sebastian Vettel fez o que se espera de um primeiro piloto
da Scuderia Italiana.

Sem erros.

Seu novo contrato com a Ferrari já está pronto.

Mais três temporadas de casamento.

Com algo em torno de 35 milhões de euros anuais de salário.

Fora os bônus.

Tudo sendo acordado, a renovação será anunciada no Templo de Monza.

Voltando ao asfalto.

Valtteri Bottas ficou rendido na pista de rua ao ter que lidar com as duas
Red Bulls.

Com estratégias diferentes, o time do energético envolveu a Mercedes e
colocou Daniel Ricciardo no pódio.

Claro.

Max Verstappen queria ter sido o escolhido.

Porém havia dívidas passadas (por erros) a serem pagas ao australiano.

Lewis Hamilton (de mãos atadas) fez o que podia para diminuir os danos.

Com os infortúnios de outros pilotos conseguiu um sétimo lugar.

Na briga pelo título, Vettel e Lewis precisam chegar em segundo sempre
que o outro vencer.

(não se pode ganhar todas)

Não deixar o adversário desgarrar pode ser o segredo do título.

O resto?

Eu disse que a Williams era um carro desequilibrado desde os testes em
Barcelona no início do ano.

No comparativo com os melhores, o bólido de Felipe Massa parecia que
ia desmontar nos esses de tanto que sacudia.

O brasileiro ainda levou os pontos da nona posição para Grove.

Sergio Perez estava ensandecido.

Muito impaciente.

Não é característica dos grandes.

(apesar do mexicano já estar com uma proposta de equipe de fábrica no bolso)

Muito legal ver a Haas pontuando com ambos os carros.

Carlos Sainz Jr. brilhou.

Vandoorne podia ter ganho uma moral com a McLaren.

Pontos preciosos perdidos.

(para a carreira)

Button?

Passo.

Na guerra do campeonato, a Ferrari mostra ter fôlego para evoluir.

Binotto afirma que Gina tinha o necessário para ser campeã na Austrália
e após seis etapas continua tendo.

Vettel diz que não quer disputar com as Flechas de Prata.

Quer estar na frente.

Maurizio Arrivabene não tem tempo de comemorar.

Os dados fornecidos pelo carro já estão sendo analisados e a cabeça
de todos está no Canadá.

Na terça-feira, Adami e Vettel estarão trabalhando no simulador.

É daí que saem os frutos.

Ninguém pode fraquejar.

Pois do outro lado está a poderosa Mercedes.

E um Lewis Hamilton sedento pelo topo do pódio.

Por fim.

Os números.
















9 comentários:

Társio disse...

Ferrari e Vettel foram impecáveis.

Incrivel como 2 semanas fazem a diferença. Em Barcelona a Mercedes parecia estar nitidamente a frente, e em Monaco foi a Ferrari.

As 2 equipes precisarão levar o desenvolvimento ao extremo (lembrando que em 2010 e 2012 a Ferrari fraquejou na luta pelo desenvolvimento contra a Red Bull), e que a Mercedes nunca passou por esta necessidade.

Abç
Tarsio

Anônimo disse...

Não entendo como um campeão mundial como o Kimi aceita ser o segundo piloto. Melhor se retirar das pistas. O Bottas aceitar é mais compreensível, porque talvez tenha uma oportunidade no futuro de lutar pelo título . Agora o Kimi , em final de carreira, é deprimente!

Gabriel Pereira disse...

F-Indy dando mais audiência que a F1.
Corridaça

David Félix Krapp disse...

Corradi eu adoro seus posts, mas que má vontade com o Perez hein rapaz, 16 provas pontuando em sequencia, aí e uma ele não vai bem e tome porrada do blogueiro... eu gosto do chicano, ele é mais piloto do que uma galera aí no grid hoje, e equipe de fabrica, só podem ser a Ferrari ou a Renault...

André Gustavo disse...

Só uma linha sobre Kimi Raikkonen !?

Não vai falar do "jogo de equipe" que a Ferrari fez para favorecer Vettel

Társio disse...

Como torcedor do Hamilton, eu não acho que tenha rolado um jogo de equipe descarado como em muitas vezes. Acho que simplesmente os caras deram a melhor estratégia para o Vettel, que a executou com maestria.

Se o Kimi ficou incomodado, ele tinha uma alternativa. Na pista ele deveria ter passado o final da corrida fungando no cangote do Sebastian para mostrar que tinha mais ritmo e foi ferrado pela estratégia e estava com seu ritmo limitado pelo Vettel. Como ele não fez isso, entendo que o Vettel tinha mais ritmo e a vitoria foi merecida.

Abç
Tarsio

juniorcaixote disse...

Tarsio, não adiantava nada ele ficar fungando no cangote do xiliquento.
Nunca iria conseguir a ultrapassagem, o melhor a fazer foi ficar mais pra trás mesmo, poupando equipamento.

Humberto Corradi disse...

Andre Gustavo

No Clipping...

Valeu

Diogo Moura disse...

Não dá para saber se foi algo constante, mas até que o Stroll não fez feio no setor 2 e 3, mas perdeu muito no setor 1. Tivesse melhorado nesse ponto faria uma boa corrida.