terça-feira, 12 de setembro de 2017

Clipping

























Existe uma questão que só poderá ser respondida ao final do GP de Cingapura.

Um mistério.

Onde estará a Red Bull?

A Ferrari considera o time dos energéticos o grande adversário na prova noturna.

Monza foi o sacrifício.

Foi duro abrir mão totalmente da corrida italiana.

Mas os vermelhos estão mirando o mundo.

Vettel será competitivo contra a Mercedes no resto.

A pergunta é se a evolução apresentada pela Red Bull em Monza se transformará
em vitória em Marina Bay.

E, pior, num fator imprevisível para Sebastian e Lewis no restante do calendário.

Certidão de Nascimento

A idade está pesando.

Está complicado achar um lugar para Pascal Wehrlein em 2018.

Com seu cockpit na Sauber prometido para Charles Leclerc, o jovem alemão
se encontra até o momento sem alternativas.

As equipes clientes da Mercedes estão com as portas fechadas.

Isso porque há a necessidade de um piloto com mais de 25 anos por conta
dos patrocinadores envolvidos com bebidas alcoólicas.

Assim os times que recebem unidades de força fabricados pela Mercedes,
Williams (Martini - 15 milhões de euros / ano) e a surpreendente
Force India (Johnnie Walker e Kingfisher - 4 milhões de euros / ano),
irão sempre buscar um piloto que atenda este quesito.

Nas duas opções já há pilotos novos (Stroll e Ocon).

Tudo indica que Wehrlein será um reserva de luxo na próxima temporada.

Recordação

25 anos?

Você lembrou de Felipe Nasr?

Infelizmente, só você.

Lobby

Fique atento.

Parte da imprensa britânica tenta criar um factóide fazendo uma ligação entre
Jolyon Palmer e a Williams.

No lugar de Felipe Massa, claro.

Jogo

A McLaren queria se livrar da Honda e poder utilizar um dos outros três motores
disponíveis.

Mercedes, Ferrari e Renault disseram não.

Toto Wolff chegou a rasgar que não cederia a qualquer pressão.

O comandante de Brackley tinha o regulamento ao seu lado.

Os prazos para definição dos fornecedores de 2018 já havia expirado.

Aconteceram muitas reuniões.

A McLaren mirou o motor francês.

A Toro Rosso queria a unidade japonesa e o apoio que vem com ela.

(e uma provável parceria de fábrica para Milton Keynes)

E a Renault desejava uma compensação para permitir a troca.

A recompensa veio através do nome de Carlos Sainz Jr.

Assim a equipe de Enstone / Viry-Châtillon ganhou um piloto mais competitivo
para suas fileiras.

(um empréstimo por duas temporadas)

Sainz Jr. poderá retornar para Red Bull no caso de uma saída de Max Verstappen
ou Daniel Ricciardo.

Perceba que a Renault também mantém suas opções abertas para o futuro.

Outro beneficiado poderá ser Pierre Gasly.

Fica claro que o maior prejudicado em toda essa transação foi Robert Kubica.

Complicou para o polonês.

Grana

Na nova parceria com a Renault, a McLaren ficará sem apoio da Honda.

Perder 300 milhões de euros por temporada não vai ser fácil.

Os acionistas Mansour Ojjeh e Bahrain Mumtalakat disseram que vão
cobrir o buraco por enquanto (um ano).

Nesse período a McLaren vai caçar novos patrocinadores no mercado.

Ninguém ficou rico rasgando dinheiro.



































Grid

Tirando a Williams, parece que tudo está definido para 2018.

Números

Nico Hulkenberg alcançou a marca de 128 largadas sem chegar ao pódio.

Monstrinho

Trevor Carlin é uma figura que está há mais de 25 anos no automobilismo.

Daniel Ricciardo e Sebastian Vettel são exemplos de nomes que passaram
na sua unha.

Interessante.

Na hora de apontar o futuro ele não hesita em dizer o nome de Lando Norris.

Hoje na Fórmula 3 e sob o guarda-chuva da McLaren, Carlin afirma que a
jovem promessa é ainda melhor que Vettel e Ricciardo.

E posso dizer que é simpático também.

Acessível, foi bem fácil receber informações da futura estrela.

Olho nele!


8 comentários:

Marcos José disse...

Não estranharia deste boato envolvendo Jolyon Palmer e Williams sendo concretizado no futuro; Jolyon Palmer tem uma coisa que Felipe Massa e Robert Kubica não tem : muito dinheiro (e é isto que a Williams quer neste momento)!! Não vejo (mas...posso está totalmente errado) o Carlos Sainz Jr retornando para os "taurinos" depois do tal "empréstimo" pra Renault ao final destes 2 anos (2018-2019) de contrato; Daniil Kvyat poderá ser reserva em 2018 na Red Bull, no caso dele perder a vaga na Toro Rosso para Pierre Gasly ou até para Nobuharu Matsushita (este mais pelo acordo com Honda).

Daniel Ramos disse...

Nao acho o werlein tao bom assim. No dtm ganha quem a marca quer. E na sauber nao o vejo assim tao mais forte que o cepo ericsson. Reserva de luxo nao acho mesmo.

Anônimo disse...


Complicou para o polonês...

Sonho de uma noite de verão. Nunca consegui ver Kubica retornando a F1. Pensar que, com uma lesão tao grave, pudesse retornar competitivamente era sonho. Treino é treino, corrida é outra conversa. O que pretendia a Renault com isso é um mistério igual a da Marlboro renovar o patrocínio com a Ferrari.

Ricardo

Jefferson disse...

A Red Bull estará a frente dos vermelhos, e será peça decisiva na disputa do titulo!

Fabrizio Salina disse...

A McLaren fez burrice. Não vai ganhar campeonato (está aí a RBR para provar), não vai ter dinheiro, e, convenhamos, pior que está não ficaria com a Honda.

Será que Alonso vale toda essa perda de aporte?

A Honda perdeu sua mística, precisam reverter isso a todo custo. Não acho que conseguirão produzir um "motorzão", mas podem apostar que vão entregar algo mais resistente para a Toro Rosso rodar.E, com essa grana toda, mais james Key, pode ser que Sainz Jr venha a se arrepender mais tarde.

Eduardo Casola Filho disse...

"Recordação

25 anos?

Você lembrou de Felipe Nasr?

Infelizmente, só você."

Não deveria, mas acabei rindo demais!

Gustavo Siqueira disse...


- Gostaria de ver ambas Red Bull atrapalhando a luta de Hamilton e Vettel pelo título. Resta saber se o motor do Verstappen agüenta o tranco;

- Fiquei abismado quando li o lobby de certos jornalistas ingleses em favor de Palmer na Williams. Parece que eles são tão orgulhosos que não conseguem admitir/entender que o cara não merece estar na Fórmula 1 (assim como Ericsson, dentre outros). Até o Stroll que estreou este ano (com 18 anos) levando paulada de tudo que é lado já mostrou mais serviço que o inglês da Renault (e não falo só de Baku). A diferença de performance do Palmer com o Hülkenberg é avassaladora;

- Hülk ainda não chegou ao pódio... talento ele tem pra conseguir, mas e o fator sorte?

- O Massa, mesmo com tudo que envolve seu nome na F1 atual (performances ruins, azar etc), ainda consegue fazer o arroz com feijão melhor do que vários que lá estão e de alguns outros que querem entrar. Uma pena o talentoso Pascal Wehrlein estar ainda abaixo dos 25 anos.

- O que será feito de Felipe Nasr?

- Onde foi parar Alex Lynn?


Um abraço, Corradi!

Gabriel Pereira disse...

Não me recordava o fato do Pascal ter menos de 25 anos.
Inviável para a Williams Martini