quarta-feira, 11 de outubro de 2017

A Mais-Valia de Alonso





























Imagem de Fernando Alonso e seus seguidores.

O piloto espanhol segue negociando a renovação de seu contrato com a McLaren.

Pelo lado da escuderia de Woking, Zak Brown gostaria de ter Ferdi em suas fileiras
por mais três temporadas.

O que está pegando aqui é o dinheiro.

A McLaren fez de tudo para se livrar da Honda.

A equipe acha que seu chassi não é digno de um motor com tanto problemas.

A chegada da unidade de força da Renault está repleta de esperança.

Um detalhe importante.

Os bólidos de Alonso e Vandoorne possuem uma bela aerodinâmica graças aos
investimentos maciços dos japoneses.

Assim.

Ganharam um motor mais promissor.

Entretanto deverão perder no desenvolvimento ao longo da temporada sem a
derrama de valores de Sakura.

Isso traz efeito também na hora de organizar o orçamento e definir o salários
dos pilotos.

Quando trocou Maranello por Woking, Alonso obteve um aumento salarial
de 15 milhões de euros.

Se tornando assim o piloto mais bem pago do grid em 2015 com 35 milhões
de euros anuais.

Aproveitando o desejo da Honda em contar com um campeão, a trupe do
espanhol soube negociar os valores.

Luis Garcia Abad e Flavio Briatore conseguiram um ótimo contrato seguindo
o caminho que é trilhado para a Alonso há mais de dez anos.

Ou seja, gerenciamento da mídia de forma incessante com forte valorização
da imagem de Ferdi.

Nos dois anos seguintes (2016 / 2017) os ganhos ficariam em 30 milhões
de euros por temporada pelo acordo.

Em sua quarta tentativa de retomar o título mundial, depois da McLaren,
Renault e Ferrari, Ferdi parece ter entrado em seu ocaso.

Briatore sempre estimou que seu protegido deixaria a Fórmula 1 em 2020.

Com portas fechadas nas equipes mais desejadas, pode ser que a profecia
do empresário, que intermediou o acordo da Pirelli e trouxe a pista de Baku
para a categoria máxima do automobilismo, se realize.

Portas fechadas por culpa do próprio piloto que costuma explodir pontes por
onde passa.

Quando Alonso deixou a Scuderia Italiana, Marco Mattiacci chegou a afirmar
que a vinda de Vettel traria "motivação, entusiasmo, disciplina e trabalho" para
a Ferrari.

Flecha lançada em direção ao asturiano bicampeão.

A Renault hesita em ter os mesmos problemas, enquanto que a Mercedes nem
cogita a hipótese de ter Alonso entre os seus.

OK.

Então o que Fernando tem em suas mãos hoje?

Uma conversa (real) com a Williams que serviu para agregar valor ao seu talento.

(no caso, 25 milhões de euros)

E a McLaren.

Zak Brown está cortando na carne.

Jenson Button será dispensado de seu acordo para que Lando Norris (mais barato)
possa assumir o desenvolvimento do carro a partir de 2018.

Economizando para poder aliviar as contas que serão geradas pelo motor Renault.

Alonso quer liberdade.

Em tudo.

Participação em provas extras (24 horas de Daytona?) e poder sonhar com opções.

Para isso um acordo de apenas um ano poderia encerrar o assunto.

Deixando-o solto no mercado ao final de 2018.

A parte financeira deverá resolvida com ganhos por produtividade.

Um salário fixo em torno de 10 milhões de euros mais bônus por pontuação e vitórias
que poderiam chegar aos vencimentos atuais de 30 milhões de euros (um teto).

O mundo gira.

É a mesma proposta que Abad fez a Ferrari na tentativa de achar uma renovação
para Alonso.

Dispensada por Maranello.

Pois naquela altura Vettel já estava arrumando suas malas para comandar o exército
vermelho.





12 comentários:

Fabrizio Salina disse...

Como não conseguiu cavar a deixa na Mercedes ou na Ferrari, vai tentar tirar o máximo de grana da McLaren... assessorado pelo sempre finório Briatore (vulgo Mr Cingapura ou Cagliostro).

Mas, como um piloto pode valer tanto se não lhe restam opções "decentes"? E, se ele tomar um "vale seis" da turma laranja? Será que ele truca?

Se a McLaren for esperta, trata de pegar Riciardo para 2019.

Társio disse...

É triste o desenvolvimento da historia de Alonso na F1.

Arrebentou na Renault, foi para a Mclaren em seu auge e não deu em nada.

Foi para a Ferrari na hora errada e não deu em nada

Retornou a Mclaren-Honda e foi um f-i-a-s-c-o.

O espanhol corre o risco de um triste fim de carreira.

É uma pena pois talento não falta, porém sao muitos erros de postura, gestão da carreira e má-sorte.

Abç
Tarsio

Gabriel Pereira disse...

Na minha terra diriam sobre Fernando Alonso.
'Ele é bão mas é ruim né?'

Eduardo Sacramento disse...

A Honda não terá um motor campeão ano que vem, mas acredito que nem a Renault. O máximo que a McLaren lutaria, hj, seria pela 7ª colocação, pois a Red Bull tem a melhor aerodinâmica (ou a Ferrari). Será que valeu mesmo a pena?

Gabriel O. disse...

Acho que já falei isso aqui em outro post, mas vale repetir... Parabéns pelo trabalho, suas informações são valiosas para quem quer saber além do que aparece na televisão. Que continue assim!

Abs,
de um assíduo leitor.

Anônimo disse...

Corrado,

Mas Mansur Ojjeh e o fundo baretinita não vão bancar até que se consiga um patrocinador master?

Acho que descartar os japoneses agora foi um erro. Principalmente se o motivo foi segurar Alonso.

Ricardo

Anônimo disse...

Desculpe, erro do corretor Corradi.

Ricardo

Anônimo disse...

Até concordo quando se fala que Alonso é dificil no trato interpessoal, mas não vamos nos iludir... todos os pilotos que são "estrelas" são dificies... Alonso nunca quer ninguém que ameace seu "reinado", Vettel pediu que renovassem com Raikkonen, Hamilton "exigiu" botas para 2017, então a dificuldade se aplica a todos.
É inegavel que a carreira dele estagnou no Bi-campeonato, mas tendo a concordar com ele, quando ele disse que "não fez a escolha errada" ao trocar a Ferrari pela McLaren, pq realmente a bomba que a McLaren se tornou , minou todas as suas opções de ganho (exceto financeiro), pq a Ferrari continua correndo atras da Mercedes nesses anos todos, e incluindo ai esse ano de 2017, que por mais que pese o fator conciliatorio que Vettel tem pregado, os bastidores estão fervilhantes em Maranello.
Ou seja, Alonso, assim como Vettel e Hamilton tem uma imagem muito forte perante os fãs, mas que de fato Alonso não seja santo, isso não é.

Marcus Vinicius

Anônimo disse...

Vou antecipar o assunto de um dos próximos posts...rs

Sabe tudo esse Corradi

http://f1corradi.blogspot.com.br/2017/06/hartley.html?m=1

Cleuber

David Félix Krapp disse...

Corradi sempre com posts sensacionais...

Alonso é excelente piloto sem dúvidas, mas o fato de estar ao lado de um cara banido pela F1 diz muito sobre as escolhas que fez e faz...

A verdade é que Alonso e sua trupe passaram anos fazendo suas respectivas camas - briga com Hamilton / Cingapuragate / Fernando is faster than you / brigas na Ferrari / brigas na Honda - agora acabaram-se as opções... vai ter que deitar meu camarada... não tem muita escolha...

Charles disse...

Alonso é o piloto mais odiado e egoísta que há na fórmula 1, por onde passa coleciona desafetos, fecha portas, está colhendo o que plantou, bem feito para ele. Vai fechar por mais um ano com a McLaren por pura falta de opção, achando que para 2019 alguma equipe da ponta do grid vai quere-lo, pura ilusão, em 2019 vai acabar indo para a Renault onde vai se aposentar.

Charles disse...

"Arrebentou na Renault"

Arrebentou em termos, o carro Renault de 2005 e 2006 dele usava um sistema de controle de largada ilegal, mas a Fia se fez de cega porque queria ver derrubada a hegemonia de 5 anos seguidos de títulos da Ferrari, a Fia avisou a todos que só poderia mexer nessa regra em 2008, resultado: em 2008 5 times brigaram por vitórias, e 3 equipes disputaram o título de pilotos até as últimas corridas.

Outro ponto interessante a ressaltar é que esses foram os úlitmos anos da administração Max Mosley na Fia, que era uma gestão que não via com bons olhos o conluio entre as equipes (famigerado grupo de estragégia, onde as equipes reunidas decidem as regras da competição e qualquer uma das grandes pode vetar qualquer mudança que não agradem a elas), depois que o Jean Todt assumiu, com sua direção passiva e calada, as equpes tomaram conta, deu merda, foi por causa dele que esse motor totalmente descabido foi adotado o que acentuou ainda mais a diferença de desempenho entre os times, Mosley jamais teria digerido tal medida.