sexta-feira, 29 de maio de 2015

Rascunho Moeda




















A teoria de Flavio Briatore faz sentido.

Ela diz que a Ferrari se tornou a segunda força da Fórmula 1 graças ao pior
desempenho de Williams e Red Bull.

O empresário italiano baseia sua ideia em duas premissas.

A primeira. já citada acima, diz respeito aos adversários.

A segunda surge ao comparar os tempos que separaram a Scuderia Italiana
da Mercedes em Barcelona (nesta e na temporada passada).

Pois mostram números semelhantes.

A mesma coisa na classificação em Mônaco.

A vitória de Vettel ele explica como sorte (pelo erro tático dos alemães).

Briatore está assim defendendo Fernando Alonso.

São bons argumentos.

Porém posso confirmar (como disse em outro post sobre os motores) que os
italianos evoluíram sim.

E que os erros da Mercedes são causados pela necessidade de montar estratégias
perfeitas.

Coisa que não acontecia na temporada passada dada a superioridade gritante.

Em 2015 existe um adversário, ele é vermelho e está empolgado.

O motor é melhor.

E para brigar pelo título os italianos já perceberam que precisarão de algo novo
para alcançar o ideal aerodinâmico.

Empolgados?

Sim, mas para 2016.

Complicada a história da Renault adquirir uma equipe.

As opções parecem limitadas entre Toro Rosso e Lotus.

A segunda, por conta do preço, poderá ser um negócio mais fácil.

A FIA deixou aberta até o dia 30 de junho a possibilidade para que interessados
possam inscrever novas escuderias para o circo da Fórmula 1.

Sobre isso vale uma observação e dois boatos.

Equipes podem estar trocando de mãos.

A Honda estaria bancado um novo time.

E a francesa Art Team desembarcaria na categoria máxima do automobilismo.

Com presença na GP2 (hoje com Vandoorne - McLaren - e o japonês Matsushita),
GP3 e DTM, o time que já contou com nomes como Bianchi, Maldonado, Hulkenberg,
Grosjean, Nico Rosberg e Lewis Hamilton, parece sonhar novamente em subir o mais
alto degrau.

Novamente porque já houve tratativas no passado para entrar na Fórmula 1 (em 2010)
com o apoio da Toyota e Michelin.

Por fim.

Quem sabe não esse seja isso que falte para Fernando Alonso?

O grande segredo de Vettel!

A moeda que o piloto alemão carrega sempre em sua sapatilha direita.


9 comentários:

Emerson Tadao Asato disse...

OLA, INJUSTO VC FICAR FORA DESSA:
http://torcedores.com/noticias/2015/05/enquete-quem-e-melhor-blogueiro-de-automobilismo-do-brasil
A HASS QUER UM PILOTO EXPERIENTE, ALGUM PALPITE?

Anônimo disse...

Concordo com o Emerson.
Dei uma olhadinha na enquete e nem tive o trabalho de votar...

Quanto à moeda na sapatilha... Não. Não é isso que falta ao Alonso!

E quanto à foto de abetuta do post, seria intencionalmente um 'plágio'?
==>> http://2.bp.blogspot.com/-ygPs2IeKQAw/VNZwK6HKBfI/AAAAAAAAAq8/VW4Ag6qjC7g/s1600/garotas%2Bselvagens.jpg

Prefiro a metade superior desta foto...


A Ferrari melhorou sim, sobretudo seus motores. Basta ver que a Sauber veio melhor (OK! o carro também melhorou...).
Melhorou também por ter se livrado do Alonso que, se do ponto de vista técnico é inquestionável, do ponto de vista pessoal parece ser intragável... faz uma boa companhia a Briatore...



um abraço,
Renato Breder

Gustavo Lucena disse...

Corradi, me tira uma dúvida, com a Renault comprando a Lotus, ela manterá a marca lendária de Colin Chapman - que é bem mais simpática aos fãs - ou esta mais uma vez desaparecerá da F-1?

Desde já, agradeço a resposta

Marcos José disse...

Tenho 2 caminhos a seguir e então vamos a eles : 1-) a ART comprar a Manor e com isso levar o Vandoorne e o Matsushita pra lá ou 2-) montar uma equipe do zero (mas já tendo como base para isto a compra das peças da falida Caterham no leilão, será que a ART já as comprou tendo como sócia a marca nipônica nisto?)com o apoio da McLaren e da Honda. O que tá "pegando" neste negócio da Renault é o Carlos Ghosn não gostar de ter equipe própria na F1 (e talvez aquele acordo com o Grupo VW, que eu escrevi num dos comentários anteriores no Rascunho nem mesmo saiu do papel por causa do que o Ghosn acha sobre isto). O Gene Haas foi visto conversando (e muito)com o Gutierrez no GP realizado em Mônaco mas se o Plano A da equipe não der certo (Danica Patrick e mais 1 piloto experiente da F1), a equipe parte para o Plano B (Gutierrez, Vergne, Alexander Rossi, Perez, Button, Raikkonen, Massa...) mas os meus palpites seriam: 1)Patrick-Button (baseado no Plano A da equipe), 2)A.Rossi-Gutierrez (o mais fácil de acontecer neste momento), 3)Perez-A.Rossi (no caso do Plano A der errado) e 4)Gutierrez-Vergne (com a vinda do Bottas pra 2016 no lugar do Gutierrez como piloto reserva na Ferrari).

Humberto Corradi disse...

Gustavo Lucena

A ideia é ressuscitar a equipe de fábrica. Sendo assim, o nome seria apenas Renault.

Valeu

Humberto Corradi disse...

Emerson Tadao Asato e Renato Breder

Agradeço a lembrança. Acho que só entraram os profissionais.

Sou um amador!

Valeu

Emerson Tadao Asato disse...

OK, MAS CORRADI VC E O UNICO QUE DOS SUPOSTOS PROFISSIONAIS QUE SE APROFUNDA NAS QUESTOES, SUGERIMDO POSSIBILIDADES E RESSALTANDO CURIOSIDADES, OS OUTROS SO DIZEM O MAIS DO MESMO.

Humberto Corradi disse...

Emerson Tadao Asato

A gente aqui só tenta ver as coisas de uma forma diferente e muitas vezes lúdica. Sem pretensões.

Essa coisa de eleição é muita vaidade. Não isso que motiva.

Melhor que isso é a participação e o apoio da turma que está sempre por aqui.

Valeu

Marcos José disse...

E outra Corradi, nem sempre "o melhor blog eleito pelos leitores" tem as melhores informações e análises; só poucos conseguem passarem os bastidores do automobilismo. Escrever sobre automobilismo não é só "criticar uma categoria" mas sim entende-la com ela funciona deste o seu começo (e até hoje). Enquando os "pequenos blogs" comentam sobre os bastidores e tentam mostrar que algo está acontecendo e a de sua explicação, os "grandes blogs" só pensam em "bajular" assuntos que não interessam aos leitores e esquecem do óbvio (que é a informação, os bastidores, a notícia).