domingo, 21 de junho de 2015

Rascunho Zeltweg
























Vitória de Nico Rosberg na Áustria num final de semana em que apenas o Q3 não
havia sido bom para o piloto alemão.

Lewis cometeu um erro bobo (uma distração?) na saída do box.

A Ferrari errou com Sebastian Vettel.

O que custou o pódio.

Felipe Massa bem constante.

E um domingo para Raikkonen esquecer.

Anters da prova, Marchionne disse que o finlandês precisa mostrar resultados se
quiser continuar.

Também confessou ter tido conversas com a Red Bull sobre o fornecimento do
motor.

Não há uma pedra sobre o assunto.

Uns dias atrás escrevi.

"Ricciardo com contrato novo até 2018 (valores baixos e cheio de brechas)."

O piloto ainda não assinou.

Pediu uns meses para decidir se continua.

Com certeza, Daniel tem uma ou duas propostas.

Ou caminhos.

Kimi vaga na Ferrari --> Bottas --> vaga na Williams --> Ricciardo.

Kimi Vaga na Ferrari --> Ricciardo.

Seriam grandes mudanças para a próxima temporada.

No mais tardar em Suzuka, teremos as definições.

Entretanto.

"Valtteri Bottas quer ser um campeão do mundo conosco", disse Claire 
Williams.

O Tordo conta que o time de Frank não quer ficar dependente da Mercedes 
para sempre.

O desejo é assumir o papel de protagonista com outro motor.

Pirelli e Michelin?

Ecclestone está sondando o mercado de pneus.

A Dunlop (via twitter) disse não.

Mas a japonesa Yokohama e a coreana Hankook também serão visitadas 
por Bernie.




10 comentários:

Jaison disse...

Lembrando de uma das mais vitoriosas parcerias da f1...
Williams Renault?

Se Mclaren-Honda traz lembranças...Willims e os Franceses também.
Em que pese o fracasso da ultima parceria...mas que não era exclusiva/dedicada...enquanto Williams penava com Renault...Renault levantava troféus com a Red Bul.
Pode ser esse o caminho...ao invés de investir num time próprio...porque não numa equipe em que isso já funcionou e muito bem...
A a Williams teria alguém para dividir a conta.
Mas tio Frank pode se dar ao luxo de confiar nos franceses e abrir mão deste canhão chamado Mercedes.
Ferrari já provou que é possível encostar no motor deles.
Talvez aos franceses precise apenas segurança e confiança para investir no motor.

Eduardo Casola Filho disse...

Essa possibilidade do Ricciardo em Maranello é interessante e faz sentido pelo desenho atual dos energéticos...

Mas será que o Vettel aceitaria numa boa?

O primeiro caminho pode ser o mais provável, mas também fica na dependência do humor do Frank Williams.

Jeferson Araujo Pereira disse...

Sobre o safety car "real" após a batida entre Kimi e o Dick Vigarista: não ficou decidido que o safety car seria SEMPRE virtual?

Massa e Bottas estão bem perto do Kimi na pontuação...

Detalhe, apenas um detalhe bobo (e foi no final do 1º treino livre): Alonso entrou no boxe em 2ª marcha - parou e permaneceu em 2ª marcha- e... arrancou em 2ª marcha.Estranho!Posso estar enganado, mas não lembro de ter visto isso nos últimos 10 ou 15 anos.

Se os 5 segundos de punição do Hamilton fosse pago com um stop & go,existiria o risco dele chegar em terceiro.5 segundos de punição, após a corrida, não faz sentido.

Rok Ah Nur disse...

Massa e Vettel mais uma vez salvando a corrida da chatice :D

Elton Paheco

Gustavo Lucena disse...

Quem seria essa potencial parceira da Williams?

Das montadoras que ainda estão na F-1, talvez a Renault, e nesse caso a associação seria nos moldes dos Anos 90, ou seja, a Williams seria a equipe oficial, com motores gratuitos e suporte tecnológico.

Fora disso, talvez a Ford-Cosworth ou a VW-Audi, se esta não fechar antes com a Red Bull.

David Félix Krapp disse...

Corradi...


A Red Bull não vai pular fora em 2016 pra poder ser "dona" da F1 ? Domenicali e o grupo Volks assumindo as equipes ?

Renault comprando Lotus ou dividindo a Williams ? Se a Mercedes sair da Williams a festa do Bottas acaba...

Felipe disse...

Bom, se a Williams não quer depender da Mercedes, pode ser que perca Bottas, pois o mesmo está lá por força maior da Mercedes, além do talento, claro (que já é digno de um time melhor, tipo Mercedes).

Bom, um parceiro provável para a Williams pode ser a Honda, se acertar a mão logo em 2016. Porém aí, a possibilidade de ter um piloto japonês (Matsushita - GP2) ou pagante (Nasr) é grande. Acredito que Renault esteja fora dos planos (uma vez que o mesmo tem planos de reerguer a equipe própria).

Ricciardo não sai da Red Bull caso acertem um bom pacote de motores com a Ferrari, que evoluiu muito. Sendo assim, caso Kimi saia, portas abertas para Bottas. Se ocorrer dessa forma, pode ser que tenhamos dois "Felipes" na Williams para 2016.

Enfim, especular é legal! Tá ficando interessante!

Marcos José disse...

Vendo pro esse lado (a venda das equipes por Masteschitz) só enxergo uma alternativa: ele venderia uma das equipes pra ART (bem provavelmente a Toro Rosso) e a outra pra Renault ou VW (Red Bull) para tentar assumir o controle da F1. Mas poderiamos ter um outro caminho que não foi explorado ainda: a Williams (com a decisão de venda das suas equipes, Masteschitz viraria "patrocinador" na equipe inglesa que teria o fornecimento de motores da VW pra depois de 2016 e contando com a volta de Newey na equipe bancada pelos energeticos!? Será?)!! O Ricciardo talvez seria uma "grande surpresa" para o Bottas na Scuderia (e tudo indica na minha opinião que teremos a resposta somente em Monza, com a "suposta aposentaria" depois da "fritura" causada no Kimi pela Ferrari) mas tudo ainda é muita especulação neste momento e esperemos pelos próximos capítulos...

Ron Groo disse...

Guerra de pneus? obaaaaaaaaaaaa

André disse...

Eu tenho uma leve impressão de que o autor do Blog não se simpatiza com o Massa.

Quando o piloto não se sai bem sucedido de uma corrida, ele sempre escreve algo para "pegar no pé".

Nessa última corrida, Massa fez uma pilotagem impecável, não errou, não perdeu posição, segurou o Vettel nas últimas 5 voltas.

Tudo isso, para dizer "Felipe Massa bem constante."

E isso é bastante recorrente.

Enfim, apesar disso...acho muito bom seu site, tô sempre acompanhando, parabéns.
Abraços.

André G.