terça-feira, 18 de julho de 2017

Clipping
























Imagem de Charles Leclerc.

Piloto que estará conduzindo a Ferrari ao lado de Kimi Raikkonen nos testes
na Hungria.

Todos apontavam para Jules.

Mas próprio Bianchi dizia que Leclerc era o fenômeno.

Meninos

Nikita Mazepin e Lucas Auer são os escolhidos da Force India para assumirem
os cockpits do time rosa nos experimentos em Hungaroring.

A Mercedes vai com George Russell (GP3).

Red Bull anunciou Max Verstappen e o substituto de Buemi nas etapas da
Fórmula E em Nova York, Pierre Gasly.

O "novato" Gary Paffett e Felipe Massa são os favoritos na Williams.

A McLaren deve colocar Lando Norris e Stoffel Vandoorne.

O americano Santino Ferrucci provará a Haas.

Sean Gelael (lembra dele?) levará a Toro Rosso num dia e os titulares
no outro.

Preste atenção nas nacionalidades pois a Sauber vai com o sueco
Gustav Malja e o japonês Nobuharu Matsushita.

Pela Renault deverão estar presentes Nicholas Latifi e, se tudo der certo,
Robert Kubica.

Se você é daqueles que implica com Lance Stroll, anote o nome de Latifi.

Família rica (rica mesmo!) e canadense.

OK?

S.H.I.E.L.D.

Depois do teste de Vettel, poucos acreditam no Escudo para 2018.

Mercado

Na Inglaterra, Christian Horner deixou claro que toda a movimentação do
mercado de pilotos depende da decisão de Sebastian Vettel.

Ele possui um acordo com a Mercedes.

Acertado diretamente com Toto Wolff.

(que inclusive participou da comemoração privada do aniversário de Seb)

Há também uma proposta da Ferrari para a renovação.

Mais três temporadas e um caminhão de dinheiro.

Na espera, Wolff cozinha o rápido e impressionante Valtteri Bottas.

E ainda pede para a Williams não tomar qualquer decisão sobre Felipe Massa.

Um lugar no time de Grove pode ser necessário.

(Williams que ainda sonha com Alonso)

Toto entrega que a decisão sobre o line-up de sua equipe envolve não apenas
a temporada de 2018, mas as de 2019 e 2020.

Rumores indicam que Wolff também trabalha com a hipótese de contar com
Vettel a partir de 2019.

Sendo assim, o multi campeão assinaria um contrato com a Ferrari somente
por uma temporada a mais.

A mudança de Vettel para a Casa de Brackley parece questão de tempo.

Do outro lado, Sergio Marchionne já conversou com Kimi Raikkonen.

Em caso de renovação, seu salário deverá ser menor.

Nada decidido.

O campeão de 2007 segue no ar.

Voltando para Horner, fico com a impressão que a Red Bull considera
aceitável a perda de Daniel Ricciardo no futuro (2019).

Bem diferente da situação de Max Verstappen.

O holandês é aquele que arrasta multidões vestidas de laranja para os
autódromos.

A turma do energético fará de tudo para segurar sua estrela.

Com o movimento em direção à Honda, os titulares da Toro Rosso para
2018 (que estavam definidos) poderão ser alterados.

Carlos Sainz Jr. (visto no paddock como problemático) e Daniil Kvyat
estão com uma neblina sob suas carreiras.

Neste caso, olhando no longo prazo.

Fernando Alonso tem tratado com a Renault, assim como a McLaren na sua
busca por uma unidade de força, entretanto existe um polonês em teste.

E aí Sergio Perez vai ficando de lado e pra piorar sofrendo comparações com
um Esteban Ocon sete anos mais novo ao seu lado.

Se não estou enganado Ocon é hoje o maior piloto da categoria máxima do
automobilismo com 1,86m de altura.

Não sei como ficaria a Haas por conta do desejo da Ferrari por Giovanazzi.

O italiano em seu primeiro treino livre na equipe americana foi quase meio
segundo mais lento que Grosjean.

Hoje, em Silverstone, Giovanazzi retomou a Haas no teste para a Pirelli.

Foram 119 voltas.

(Lance Stroll também estava lá e deu 106)

Já a Sauber está sob nova direção.

Frederic Vasseur (ex-Renault).

Que chega com muita autonomia.

Vamos ver os rumos.

Olho da Rua

"O GP da Grã-Bretanha não precisa ser em Silverstone."

Chase Carey (Liberty)

Ficou

Petronas garantiu que o seu futuro na F1 não está comprometido.

Mesmo com a retirada do Grande Prêmio da Malásia do calendário,
a estatal estendeu seu acordo de patrocínio com a Mercedes.

(apesar de Eddie Jordan ter noticiado o contrário)

Desde 2010 a empresa vem investindo algo em torno de 40 milhões
de euros por temporada no time de Toto Wolff.

Com o apoio, a Petronas tem obtido um retorno midiático de mais de
800 milhões de euros anuais.

(pra quem duvida do tamanho da Fórmula 1...)

A empresa não deve aumentar a verba.

Por outro lado tem garantido relevância cada vez maior na parte técnica.

O investimento no moderno centro de pesquisa e desenvolvimento de
Villastellone (Turim) na Itália tem rendido frutos para a equipe na F1.

Excelente para os alemães.

Pois a gasolina Petronas é uma das principais colunas do ousado plano
da Mercedes.

Que consiste em dominar a categoria até o final do atual Acordo de
Concorde em 2020.

E, depois de atropelar Audi e BMW em casa, se tornar não apenas uma
das melhores marcas do segmento premium, mas uma lenda mundial.

Como a Ferrari.

Sábado

Sebastian Vettel acusou o qualifying da Mercedes como a maior dificuldade
da Ferrari.

Sim.

Largar na frente faz toda a diferença.

A Ferrari perdeu, mas ainda não está tão longe.

Sempre olho para Valtteri Bottas.

Enquanto um bólido vermelho estiver entre as duas Flechas de Prata ainda
temos um campeonato.

Se o viés de alta da Mercedes continuar, aí será quase impossível recuperar.

Parecia que não, entretanto Silverstone foi totalmente favorável para
a Mercedes.

Houve muita dificuldade na Scuderia Italiana para achar o setup correto.

Diferente das primeiras provas.

A esperança reside na exigência aerodinâmica da Hungria.

A Ferrari tem que mostrar nas próximas semanas que o SF70H tem espaço
significativo para o desenvolvimento.

Se Gina mostrar fôlego será um alento.

Algumas das novas especificações da unidade de força testadas pela Haas
na Áustria foram utilizadas na corrida da Grã-Bretanha.

Mas só veremos o real poder de forma completa em Monza.

A Empresa austríaca AVL tem auxiliado no desenvolvimento.

Ao mesmo tempo a unidade da próxima temporada já está sendo formatada.

A saída de Lorenzo Sassi pode indicar que ele não estivesse conseguindo
gerenciar as duas equipes de engenheiros.

Pois o modelo 2018 da máquina promete ser bem audacioso.

Dias cruciais.

Por fim

Penso que as clientes são uma forma de ver (sem tanta influência aero)
o poder do motor.

Por isso gosto de comparar Haas, Force India e Williams.












17 comentários:

Gabriel Pereira disse...

Você só esqueceu de ressaltar que qualquer decisão será tomada em torno do Lewis Hamilton.
Se ele decidir ficar na Mercedes contrariando boatos de aposentadoria e sonho Ferrari(blá blá blá) não existe essa história de Vettel na Mercedes.
As coisas são assim no meu ponto de vista e acredito que no seu também.
Você disse aqui várias vezes o que acontece quando um piloto chega em uma equipe nova.Até conhecer os métodos de trabalho,conhecer seu novo equipamento, seus novos engenheiros e etc..
Isso leva tempo.Observe como o Bottas deve vir até mais forte para o ano que vem.É assim que a coisa anda.
Sei que você encher um post desses com informações desse nível provavelmente deve ter uma fonte boa.Mas francamente, analisando tudo o que se passa na Fórmula 1 o Hamilton fica na Mercedes até o fim da carreira se ele quiser.
E mais francamente ainda Corradi.Não existe possibilidade desses dois dividirem uma escuderia tem que ser muito ingênuo para não ver isso.Possibilidade muito remota.
Feito o meu registro.
Sobre defender a unidade de força 'FERRARI' mais uma vez aqui eu quero que você me explique o

Gabriel Pereira disse...

Só mais uma coisa.
Sobre defender a unidade de força 'FERRARI' mais uma vez aqui eu quero que você me explique(se possível) sobre a atualização do motor Ferrari que fez a Hass andar supostamente bem na áustria mas ter ficado abaixo dos motores Mercedes em velocidade final(Speed Trap)
E agora você ao olhar para as clientes destaca a velocidade final da Haas(Speed Trap) que teoricamente andou pra trás em termos de performances na Inglaterra.
Olha..sinceramente as vezes eu acho que você se perde nas suas próprias informações(porque esses Speed Traps estão aqui no seu blog é só dar uma olhada)
Não seu qual a intenção disso.A única coisa que eu sei é que a Mercedes no momento tem mais carro que a Ferrari.Tanto em corrida quanto em classificação.
Mas tá difícil entender essas justificativas por essa criação de conflitos e informações que não batem aqui nesse blog.
Não tenho nada a ver com isso.Acho interessante esse espaço aqui.
Mas é importante fazer essas ressalvas..
abraço

Daniel Chagas disse...

A Williams pensando em Alonso? Será que a equipe está voltando a pensar grande? Duvido. Sendo assim, vejo três possibilidades para o espanhol: Mclaren, Renault (se Kubica não voltar) e aposentadoria. E essa história de Vettel na Mercedes me intriga com relação ao Hamilton, pois não vejo os dois juntos na mesma equipe. Não descarto a possibilidade de vermos o inglês indo para a Ferrari ou até mesmo se aposentar.

Humberto Corradi disse...

Gabriel Pereira

Quem da Mercedes afirmou que qualquer decisão será tomada em torno do Lewis Hamilton?

Quanto aos motores o Speed Trap de Silverstone (imagem) é um ótimo termômetro por ser bem parecido com Barcelona. E como disse, não estou falando de conjunto, mas apenas das unidades de força.

Humberto Corradi disse...

Daniel Chagas

Não vejo Hamilton na Ferrari e nem se aposentando.

WilliamC disse...

Sinceramente a Ferrari renovar com Kimi pra próxima temporada, pra mim, tem mais haver com desejo do Vettel, bem medíocre, querendo um piloto fraco e que prejudica a equipe. Mas a Ferrari parece querer fazer os desejos de sua estrela.
Ao contrário do que alguns falam, não acho que essa queda de rendimento da Ferrari se deva principalmente à proibição de óleo no combustível. A Mercedes parece ter encontrado o equilíbrio que faltava e a Ferrari parece estar se perdendo novamente.
Aliás, pouco vi ser comentado sobre esse negócio de óleo no combustível, creio que se fosse a Mercedes, os comentários estariam mais exaltados.

Fabrizio Salina disse...

Acho é que todos somos muito afoitos e nos deixamos levar demais pela impressão da última corrida.
Se pensarmos mais adiante, veremos que, por mais que a Mercedes evoluiu e a Ferrari "andou de lado", a atitude correta foi a de Vettel ao afirmar que não há motivo para desespero. Foi muito prudente, pois se colocar gasolina na fogueira, em breve se desgastará como aconteceu com Alonso. A Ferrari tem estrutura, tem recursos. É questão de tempo e paciência para ter um carro competitivo. Esse ano já saiu no lucro. Pois não podemos esquecer que a saída de Rosberg atrasou o desenvolvimento do carro prateado, pois comprometeu toda a logística de trabalho. Isso ficou nítido nas primeiras provas. Uma coisa é o feeling de um piloto velho de casa, acostumado com a metodologia, outra, preparar a adaptação de um novato. Tudo isso impactou.
No balanço geral, a situação da Ferrari está muito acima do esperado. Está no lucro. Em termos de unidade de força, a sua já se equipara à da Mercedes, mas em termos de funcionamento do chassi e do conjunto, falta o pulo do gato. O carro oscila a performance de uma pista para outra, e como sabemos, carro bom mantém uma constância em todas. O braço de Vettel tem feito a diferença, pois Kimi não é mal piloto. Com um carro afinado, sempre fez bons trabalhos.
Em resumo, tudo o que vemos está no script. Talvez não saibamos de todas as peças e variáveis envolvidos, mas o jogo a ser jogado era isso mesmo.

Jefferson disse...

Então acha que ele volta pra Mclaren Corradi?
Ou vislumbra a possibilidade de dividirem boxes?
Certamente ambos querem evitar isso.
Eu corroboro com a opinião de que depende também de Lewis sim, pois se os prateados evitam Alonso...

Gustavo Siqueira disse...

Que loucura as especulações pra 2018. Estamos vivendo a silly season mais atribulada dos últimos anos. Neste momento, a única equipe com dupla confirmada pra próxima temporada é a Red Bull;

Não vejo o porquê de Bottas não continuar na Mercedes;

A Williams pensa sim em Alonso (basta assistir à entrevista da Claire em Silverstone para o Will Buxton). Resta saber se o piloto pensa na equipe;

Ainda procuro um motivo pra STR manter Kvyat e pra Renault manter Palmer;

Tinha um Ocon no meio do caminho... por essa o Perez não esperava. Está num momento complicado da carreira (estaticidade), assim como Grosjean.

Gabriel Pereira disse...

Eu não falei.Nem você e nem a Mercedes.
Mas quem dispensaria um piloto como o Hamilton tendo em vista tudo que ele entrega para a equipe??Sei que existe o fato da escuderia e Vettel serem alemães mas de qualquer jeito não faz sentido.
Eu afirmo aqui com toda a certeza que existe.O Hamilton só sairá da Mercedes se ele quiser.
Por isso que acho balela essa historinha de Vettel na Mercedes.
A não ser que o Hamilton saia por vontade dele..
Aí sobraria espaço para outra estrela.Com hamilton lá a chance é 0.

Fernando Mayer disse...

Bom dia!

Posso queimar a língua (e não tenho a intenção de contrariar suas fontes), mas não creio que o Hamilton queira ter os mesmos problemas que, em um passado recente, teve com outro piloto de ponta que era o Nico Rosberg dividindo a mesma garagem. Não que eu não creio que o Bottas não seja um piloto a altura, a ponto de peitar o atual "dono da situação" na Mercedes. Mas estamos falando do Vettel e não cabe o uma comparação entre ele e o Bottas, que ainda tem muito a conquistar. Já pela ótica do Vettel, eu creio que deva ser da vontade dele ter o melhor carro/equipe do grid (e quem não quer?). Mas repito: duvido! E também duvido que o Hamilton se aposente ao fim da temporada... tem muita lenha pra queimar ainda e é um excelente piloto. Casos de aposentadoria precoce como aconteceu com o Rosberg são raros e por razões muito específicas. Não acho que o Alonso saia da McLaren. As outras alternativas para que ele permaneça na F1 são Renault e Williams. A primeira tem outros postulantes ao cargo que são mais baratos e com pretensões bem menores que as do bi-campeão, que quer a todo custo um carro que ofereça o mínimo de competitividade para voltar a vencer pelo menos um punhado de corridas a curto prazo. Além disso eu sei de uma coisa: permanecer com o Palmer é uma burrice. A Williams, além de ter certos aspectos semelhantes aos da Renault no sentido de ser um entrave para a contratação do espanhol, ainda tem o fator Toto Wolff, que sempre quer manter os pilotos da academia da Mercedes ocupando algum assento. Dito isso, ao meu ver, creio que a peça desse quebra cabeça que pode desencadear uma mudança significativa é o Raikkonen. Meio desmotivado, desligado e desinteressado, não obteve nenhuma vitória desde que voltou para a Ferrari e vem fazendo aquele feijão com arroz sem sal para se manter a sombra do Vettel. Só está lá porque o alemão não quer um pedregulho no sapato e isso remete ao início do comentário. Uma Mercedes com dois gênios como Hamilton e Vettel... Motivo de empolgação para torcedores (como eu), dor de cabeça para os protagonistas do show.

Abraços

juniorcaixote disse...

É, Corradi...
Você comentou no post sobre a corrida da Grã-Bretanha sobre o Toto criticar o Grosjean quanto à suposta atrapalhada que o Hamilton cometeu contra este no qualifying. Mas agora o Vettel reclamou do Verstappen, acusando-o de "selvagem demais ainda". Nessa, quem tem mais a perder é o xiliquento, hein. Grosjean com a Hass, nada pode fazer contra a Mercedes, a menos que baixe o Mansell nele. Já o Verstappen com a RBR...

Anônimo disse...

Gabriel Pereira...
O que existe é...Hamilton têm contrato até 2018. Ponto. Vettel encerra o contrato este ano. Ponto. Ferrari não vai aceitar renovar apenas por um ano, ou vai fazer de tudo para não aceitar um contrato de um ano.
Mercedes é uma equipe alemão e ter começado com Rosberg e Schumacher é forte indicio que eles sim desejam um Kaiser.
Tu acha que já não procuraram o Hamilton para estender o contrato? Devem. Mas certamente ouviram dele, vamos deixar para discutir isso ano que vem. Chega 2019 Hamilton larga e ele vão de quem? Bottas e Ocon? Eles substituíram o Schumacher por um dos top 3 do grid. Não vão substituir sua estrela por um Bottas da vida. Então normal correr atrás do Vettel.
Seria mt bom para a F1 uma Mercedes com Vettel e Hamilton. Quem sabe motivasse o Hamilton a continuar além de 2018.
Lembrando que o Hamilton não deu chilique a chegada do Button em 2010 e se esquecem que o Vettel assinou com a Ferrari com o Alonso lá...dps é que o Alonso saiu.

Anônimo disse...

JÁ entendemos Gabriel Pereira.
Você é o informante do Corradi sobre o acontece na Mercedes. Sabe tudo o que vai acontecer.
Parabéns.

Glauco

Gabriel Pereira disse...

Glauco

Obrigado por ratificar tudo o que eu falei somente com outras palavras.
Agradeço a citação

Sobre Hamilton e Button na mclaren.Naquela época os dois estavam no mesmo patamar.Eram dois campeões mundiais com o mesmo número de títulos.Só uma observação... o Button conquistou mais pontos que ele durante os 3 anos de convivência.Coisas das 'carreras'..

Sobre Vettel e Alonso na Ferrari.Quando o Vettel assinou com a Ferrari o Alonso já estava fora de lá e provavelmente só aceitou sabendo que a Mclaren o contrataria para o ano que vem.

Mas por concordar com a minha opinião você com certeza vai entender as minhas explicações acima.

Társio disse...

Voces estao loucos em pensar em Alonso na Williams? A equipe la é mão-de-vaca e vai pagar um salario de £25mi/ano??? E o Alonso iria topar abaixar o salario para pilotar para uma equipe cliente?

Queiram ou nao, Vettel é a chave para o mercado de pilotos. Ele tem a oportunidade para ferrari e mercedes. Voces acham que o hamilton quer Ferrari agora? Claro que nao.

Abc
Tarsio

Felipe Giro disse...

Ótimo texto, Corradi.

PS: É "Giovinazzi" com I xD