terça-feira, 7 de outubro de 2014

Rascunho com Escolhas


























Um dos maiores erros que você pode cometer na vida é menosprezar os outros.

Fernando Alonso achava que estava acima do bem e do mal.

Fez pouco caso quando Marco Mattiacci assumiu o lugar de Stefano Domenicali.

A chegada do administrador vinha com a chancela da FIAT.

A empresa começava uma pequena revolução que varreria Luca di Montezemolo
do mapa.

Tudo para se alinhar com as metas futuras.

Ferdi boiava no seu ilusório mar de tranquilidade.

A especulação inicial era que Montezemolo ainda continuaria no controle.

Quando as cortinas foram abertas o cenário do show era outro.

Podemos dizer que Fernando Alonso foi demitido.

Sem dó.

A Ferrari já havia assinado com Sebastian Vettel e não precisava mais do
espanhol.

A data?

O Tordo fala que tudo aconteceu na época do GP de Cingapura.

A Scuderia Italiana prepara o ninho para a chegada do campeão alemão.

Uma dezena de novos engenheiros está sendo adicionada às suas fileiras.

Os italianos estão arrancando material humano da Toro Rosso, Red Bull,
Mercedes, McLaren e Lotus.

Nomes indicados pelo projetista James Allison.

E também pelo cobiçado Pedro de La Rosa (referência na parte de simulação).

E Alonso?

McLaren um ano e depois Mercedes?

Um ano sabático?

Esperar um movimento de Lewis Hamilton?

Quase 3 anos atrás o Blog publicou um post sobre as decisões do piloto
espanhol.

Clique aqui.

Ainda atual.

Mudando de assunto.

Apesar de todos os problemas, a Caterham segue com o projeto de seu carro
para 2015.





















Sei que grandes modificações aerodinâmicas estão sendo feitas.

Vale notar.

Com a saída de Vettel e a chegada de Danill Kvyat o pessoal do energético
vai poupar bastante na próxima temporada quando pagar os salários de seus
motoristas.

Essa política de criar pilotos desde o ventre deve se tornar uma tendência no
futuro da categoria.

Interessante.

Depois de dançar com as menores, o bilionário Lawrence Stroll se aproximou
da McLaren.

Talvez haja um proposta de participação.

Por fim.

A situação médica de Jules Bianchi é um assunto que não será discutido por
aqui.

Mesma postura usada no caso de Michael Schumacher.

22 comentários:

Delgado disse...

Apesar de sua insistência em querer "demitir" o Alonso, quem acompanha a F1 sabe que não foi assim.
Hpa muito tempo o espanhol não estava satisfeito com a Ferrari, inclusive houveram vários desentendimentos entre ele e Montezemolo.

Alonso trabalhou para negociar uma saída da Ferrari, em termos vantajosos para ele, e conseguiu. O acordo com a Mclaren só falta ser anunciado.

A decisão de Alonso, iniciou os outros movimentos, que culminaram com a demissão de Vettel, e sua contratação pela Ferrari. Só que a RBR se antecipou no anúncio, mas isso não engana ninguém, ao menos aqueles que estão habituados com as negociações na categoria. Foi uma atitude muito transparente, no intuito de passar uma impressão falsa, que até pode iludir alguns que não tem familiaridade com o modo de agir das equipes, quando dessas complexas negociações.

Isso não é algo inédito; já aconteceu outras vezes na categoria.

E apenas arriscando uma opinião, acredito que nessa, o Alonso levou a melhor, em relação a Vettel.

Ainda não sei se o Adrian Newey continuará na RBR em 2015, mas se ficar, provavelmente projetará um carro que possa competir pelo título, e o Ricciardo é quem irá se destacar. Na Mercedes as coisas também não são certas, mas sejam quem forem os pilotos o ano que vem, eles devem continuar como a grande força. A Mclaren é uma incógnita, mas acredito mais nela do que na Ferrari.

Anônimo disse...

E o tercerio carro? vamos ter será?
mesmo que opcional, Ferrari, Mercedes, Redbul não teriam dificuldade em alinhar um terceiro bolido.
Mercedes poderia apostar num trio de Rosberg, Hamilton e Alonso.

Renato Santos disse...

Não é um blog de notícias, até porque os blogs de notícias estão sempre com aquelas pautas mornas, comendo mosca. Aqui eu tenho o dedo no pulso, a agulha na veia e o hemograma minuto-a-minuto, metáforas médicas pode?

Rafael disse...

Alonso quem deu o primeiro passo, isso tá todo mundo careca de saber já.
Nunca que a Ferrari mandou Alonso embora.
E a pé, Alonso? o Fodón de Las Asturias??? contrato fechadíssimo com a McLaren.

Anônimo disse...

É fácil entender as duas partes. Por um lado a Ferrari sabe que está nas maos do FA, que sem o espanhol a equipa andava lá em baixo a arrastar-se contra a Force India e a McLaren, mas que isso acaba por denegrir a sua própria imagem. Por isso tomou a decisao difícil e corajosa de afastar o piloto e começar do zero. Ok, mas levará tempo a organizar as coisas Maranello porque aquilo é uma bagunça total.
Por outro lado, o FA já devia estar farto de tanta incompetência... Todos os anos o mesmo discurso vazio e orgulhoso do "este ano é que é" sem que nada tivesse realmente mudado. Nunca percebi o zum-zum e a adoraçao pela Ferrari pós-Enzo. Equipe medíocre, obesa, ágil como um koala adormecido e vaidosa, uma equipa que só ganhou quando podia gastar muitas centenas de milhoes de dólares e torcer algumas regras a seu favor. Mas enfim...
É só a minha opiniao,
Cláudio

Anônimo disse...


Corradi, não viaja querendo ser o rei do furo, dos bastidores e da noticia antecipada, seu blog não tem esse poder nem esse perfil, vc ja tem um trabalho legal com a seleção de fotos e analise de outros aspectos, no mais o Delgado disse tudo. abs

marcio jose disse...

não acredito em demissão...

seria um tiro no pé...

tio Frank e Honda agradeceriam enormemente.

Jefferson disse...

E por essas e mais umas que, mesmo sem ter vivido aqueles tempos de Moss e Hawthorn, Clark, Stewart, Hill, fico saudoso. Época de homens ao volante, cavaleiros em suas armaduras e atitudes. Hoje alguns garotos muito habilidosos, rápidos e mimados. Empresários, ganância eterna! Esse lance de criar seu piloto pode realmente criar o tão sonhado vínculo.

Jefferson disse...


Em tempo, asturiano, alinhando o 3º carro prateado? Até ele, em consulta com seu ego, sabe que apanharia dos outros dois. No vermelho ele mesmo vetou Vettel, não foi? Infelizmente minha querida Mclaren é mesmo uma incógnita. Tomara que seja realmente boa e que o 2º piloto lhe dê aquele bom trabalho de outrora.

Paulo Abreu disse...

A única coisa que concluo depois dessa leitura é que: Vettel brilhará na Ferrari, comandando a equipe em mais um punhado de títulos - mas não para já, talvez a partir de 2016. E Fernando Alonso continuará suando o macacão para tirar leite de pedra.

Marques disse...

Desde de 2007 Alonso tem apenas 3 vitórias a mais que Jenson Button...

Mansur. disse...

Boiando em mar de tranquilidade? Estava era arrancando leite de pedra dessa Ferrari. Demitido sem dó? Ninguém desfaz de um piloto como ele dessa maneira não, amigo... minha opinião. Respeito o trabalho dos outros, especialmente o do Alonso.

Anônimo disse...

Não tem coisa pior que blogueiro fã do Vettel. Será que um ano levando ferro do Ricciardo não foram suficientes? A RedBull deixou claro que tem talento de sobra para continuar seu projeto na f1. E como explicar já Alonso saiu sem executar uma cláusula de multa? Ele é muito bonzinho, não acha? Não sei qual a vantagem em exaltar um piloto que não fez nada esse ano enquanto o companheiro já tem três vitorias. A Ferrari pode contratar quem ela quiser, enquanto o túnel de vento não funcionar, já era.

Ricardo M.

Anônimo disse...

Fico imaginando a cara do Didi. Ele pega um guri no kart, coloca na f bmw e o leva até a f1, dando carro e salário. Na f1 lhe da um carro campeão em 5 dos 7 anos de categoria. No primeiro ano ruim, o cara se manda. Em uma noite de sexta-feira, simplesmente manda um SMS dizendo não ser mais piloto da RedBull e que vai para Ferrari, alegando que a RedBull não lhe deu um carro competitivo. Detalhe, o outro carro tem 3 vitórias.
Vettel não é assim também legal, né? Menos...

Ron Groo disse...

Sério? há a chance de um ano sabático?
Sei não... Com a velocidade das mudanças, um ano fora é um tempo consideravelmente e Alonso já não é um jovenzinho.

Renato Santos disse...

Arrisco dizer que com essas picuinhas, o Alonso acabou marcado como a escolha do Montezemolo, e a nova galera quer ter o seu menino de ouro, que já tinha avisado há anos que sonhava com o cavalino.

Anônimo disse...

Olha, é improvável que a Mclaren tenha um carro nas primeiras posições no ano que vem. A uma porque o unidade de potencia da Honda é uma incógnita, mas me parece ser muito otimista para acreditar que ela, no primeiro ano, tenha um desempenho similar aos que já estão funcionando este ano, especialmente na parte de recuperação de energia. Segundo porque mesmo na parte aerodinâmica, a Mclaren está atrás das demais equipes de ponta. Se o Alonso for mesmo para lá, como parece ser o caso, vai ficar ainda mais rico, e com um ano a menos para disputar títulos. E sobre a Ferrari demitir pilotos... ela, em 1991, demitiu o Prost sem choro nem vela após ele reclamar do carro em Suzuka. A Ferrari sempre considerou-se maior do que seus pilotos e nunca hesitou em demitir um piloto que, no entendimento deles, prejudica a marca com críticas abertas.

TheEltonToptec disse...

Doa a quem doer:

"A posição de Alonso não é tão forte como ele quer que pareça. Tenho informações de que ele foi demitido por Marco Mattiacci na quarta-feira após a corrida de Cingapura. Alonso foi surpreendido porque subestimou o poder do mundo corporativo da nova administração da Ferrari".

"O espanhol havia feito exigências consideradas inaceitáveis pela Ferrari, mas ainda achava que tinha cartas na manga, já que não existia um piloto de ponta para substituí-lo em Maranello. Uma vez que Vettel aceitou trocar a Red Bull por Maranello, a Ferrari considerou que tinha seu problema resolvido e demitiu Alonso".

"Agora, sendo realista, restam duas opções para Alonso: Apostar que a McLaren voltará a ser competitiva rapidamente e voltar para ficar no mínimo dois anos – sob regras que ele não queria na Ferrari -, ou tirar um ano sabático em 2015 para ver como as peças se encaixam nesse período".

Adauto Silva

http://www.autoracing.com.br/posicao-de-alonso-e-pior-do-que-parece/

Alfredo Aguiar disse...

Quase parei de ler os comentários, talvez de tanto rir, quando o sujeito, digamos, insinua, que o demitido foi o Vettel. O alemão tirou dois títulos, já na prateleira, do espanhol e agora tirou o emprego dele na Ferrari. O sujeito tá sem eira nem beira até agora sem saber direito o que aconteceu. E a espanada doida continua berrando que ele é o El Fodon das Astúrias, que tudo que aconteceu foram cartas jogadas pelo príncipe espanhol. Uma piada esse torcedores fanáticos do espanhol.

Anônimo disse...

Esse Corradi é um mala.

Leandro disse...

Alonso foi demitido da Ferrari. E se esconde atrás das palavras ao dizer que está numa posição privilegiada e pode escolher onde quer correr. Não é bem assim. Ele só tem 2 opções. McLaren ou nada. E se quiser a McLaren vai ter de entender muito bom com Ron Dennis...

Silvestre Zanon disse...

As pessoas que aqui comentaram dizendo que o Corradi "viajou" nessa postagem deveriam voltar para se corrigirem...bateu certinho....Ferrari despachou o Alonso.