segunda-feira, 24 de abril de 2017

Clipping

























Avaliando o novo território.

Já até fez seu assento na fábrica da Andretti.

Indy

O brasileiro Gil de Ferran (embaixador da Honda) vai auxiliar Fernando Alonso
em sua aventura na Indy.

Está sendo tratado como um mentor pelo espanhol.

Ainda não sei onde vai dar a participação do piloto da McLaren nas 500 milhas.

É certo que a categoria americana receberá um retorno midiático fabuloso.

(assim como aconteceu com Le Mans - Hulkenberg)

Fico me perguntando se surgiria uma parceria entre a Indy e a F1 num futuro
próximo.

(coisa que não deu certo entre Ecclestone e a família France, dona da NASCAR)

Sei que nada está sendo de graça.

Ferdi e sua equipe estão recebendo 5 milhões de dólares (pagos pelos japoneses).

Pode ser somente uma estratégia para seduzir Alonso a continuar com o time
por mais tempo.

A proposta da Renault é séria.

Luis Garcia Abad (empresário de Fernando) teve uma reunião a portas fechadas
com Cyril Abiteboul (Renault) no Bahrein.

Os franceses não prometeram milagres, mas estão convictos que brigarão pelo
título em 2019.

Abiteboul acredita que, com o tempo, haverá mais paridade entre as escuderias
na briga pelo campeonato.

E que os pilotos farão a verdadeira diferença.

Entretanto é necessário alguém (talentoso) que espere o período de desenvolvimento.

Por outro lado a Honda busca sanar seus problemas.

Nos testes do Bahrein foi notada a presença de engenheiros de fora da equipe.

Que nem uniformes usavam.

A FIA já havia dito que se após três etapas houvesse uma diferença grande demais
entre as fabricantes o Grupo de Estratégia deveria fazer uma intervenção.

O procedimento já pode ter sido iniciado.

O foco seria na confiabilidade.

Para que os carros da McLaren ao menos possam terminar as corridas.

No caso, existe a ideia da Mercedes ceder (em troca de dinheiro) tecnologia na
parte eletrônica aos técnicos da Honda.

Lembrando que em Sakhir, Alonso não abandonou por falha em sua unidade
de força.

Foi uma pane seca.

Decisões

Falando nisso, o Grupo de Estratégia se reúne nesta semana.

Na mesa estarão sendo discutidas questões sobre a T-Wing, as barbatana dos
carros e as unidades de força (se serão três ou quatro para 2018).

Sauber e Honda

Fique atento.

Em meados de maio termina o prazo para as escuderias da Fórmula 1 se
comprometeram com um fornecedor de motores para 2018.

Um anúncio logo será feito, já disse.

Gosta de Sol

A Williams se entende bem com os pneus da Pirelli.

Não demoram a aquecer (Red Bull) e nem sofrem superaquecimento (Mercedes).

Porém em pistas frias e úmidas o bólido de Grove simplesmente não anda.

Estão ainda tentando entender a razão disso acontecer.

Uma dificuldade antiga.

Detalhes

Na classificação no Bahrein que deu a pole para Valtteri Bottas, Hamilton cometeu
um pequeno erro.

Acionou o seu DRS antes da linha e por isso o mesmo não funcionou.

Foi mais um deslize num final de semana que teve Vettel como vencedor.

Preocupante.

Pois a Mercedes já entendeu que precisa ser perfeita para derrotar Seb e Gina.

Plano

A Ferrari começou a realizar os primeiros testes de partes que seriam utilizadas
no SF70H nos treinos livres em Austin (outubro) no ano passado.

Salários

Até mesmo nos vencimentos existe equilíbrio entre Vettel e Hamilton em 2017.

Valores iguais.

Lisa?

Adrian Newey parece ter se rendido.

Deve vir por aí uma Red Bull toda espetada na Espanha.

Mendonza

Ele perdeu para Button na McLaren (2013) e para Hulkenberg
já na Force India (2014)

Deu o troco e derrotou o mesmo Hulkenberg nos dois anos seguintes.

Mas foi seu companheiro que se mudou para um time de fábrica.

Tem muita gente elogiando o Mexicano.

Uma opinião.

Não sei se Sergio Perez achará espaço na categoria para tentativas mais
promissoras.

Meu pensamento.

Por Fim

A Williams chegando com sua mudança em Sochi.


13 comentários:

Gabriel Pereira disse...

Eu já penso o contrário.
Acho que a FERRARI que precisa ser perfeita para derrotar a Mercedes.
Visto que já sabemos que as flechas de prata são melhores em classificação.
E em corrida ainda não tivemos um duelo pra ter certeza de quem possui o melhor ritmo.
Mas entendo sua torcida pelo Vettel rsrsrsrs..

Gustavo Siqueira disse...

"Fico me perguntando se surgiria uma parceria entre a Indy e a F1 num futuro
próximo."


Também me pergunto isso, Corradi. Interessante que na coletiva de Fernando Alonso em Barber, Zak Brown afirmou que há uma vontade em ter a McLaren participando todo ano nas 500 milhas já a partir de 2018. Outro assunto abordado foi o fato de o GP de Mônaco e a corrida americana serem realizados todo ano no mesmo final de semana... agora que os americanos estão no poder, pode ser que venha mudanças por aí. Afinal, ninguém melhor que eles pra apostar e ganhar.

Outra coisa que me pergunto, agora que Ecclestone não dita mais as regras do jogo, seria (será) possível um dia vermos corridas da Indy em circuitos que abrigam a F1? Como em Interlagos, por exemplo... ou será que há uma resistência por conta da disposição de boxes utilizados pela categoria norteamericana?

Perez é um grande piloto, mas creio que seu comportamento ainda é mau visto nas equipes grandes em decorrência de sua temporada na McLaren em 2013. Também não consigo ver o mexicano em nenhum dos times de ponta. Se o próprio Alonso, tido por muitos como o melhor piloto da última década, não é sequer mais considerado por Ferrari, Mercedes e Red Bull por conta de seu temperamento, o que dizer e esperar de Checo?

Renato Santos disse...

eSSE BLOG É UM BANQUETE

Daylson Elder disse...

Nossa.Quanta coisa uma equipe leva pra pista.Essa foto dos caminhões da Williams é belíssima.Interessante demais.

Daniel Chagas disse...

Se for confirmada a parceria entre Sauber e a Honda pode ser o início do declínio definitivo da Mclaren. Parece ser um paradoxo mas o melhor caminho a longo prazo para os ingleses é permanecer com a Honda, pois se virar equipe cliente da Mercedes vão correr o sério risco de virar uma segunda Willams, só viver do passado.

Anônimo disse...

Ao Daylson Elder:
Não de esqueça que um dos pilotos da Williams é o "Is Troll", portanto muito do que aqueles caminhões transportam tem à ver com spare parts para o "de Crasheris 2, a missão", ok!
Perez numa equipe grande?!?!
Tá se achando a última bolacha do pacote o xicano!
Melhor esperar sentado. . .ou até deitado, cansa menos!
Never ever!
Zé Maria

David Félix Krapp disse...

Corradi...

Essa paquera entre McLaren e Indy não é um sinal pra FIA que se ela não se coçar o pessoal de Woking se manda pro campeonato americano ?

E que injustiça com o Perez... ele andou muito na Sauber em 2012, passou maus bocados no início da queda da McLata quando foi exigido desenvolvimento do Button que não sabe desenvolver nem carrinho de rolimã... eu acho que o Perez merece mais a vaga de 2o. piloto da Ferrari por exemplo do que o Grosjean...

Humberto Corradi disse...

David Félix Krapp

Não. Zak Brown (McLaren) sempre teve ligação com a Indy.

E não dá para comparar Indy e F1. Ninguém quer trocar a Categoria Máxima do Automobilismo por algo (muito) menor.

Valeu

Gabriel Pereira disse...

Menor porém (MUITO)mais competitiva,barata e acessível.
Automobilismo de verdade.Se não fosse a tradição e o dinheiro uma categoria como a Fórmula 1 já teria morrido muito tempo.
Só dá sono em você rapaz.

Jefferson disse...

Na verdade, essa imprevisibilidade da indy, ou competitividade, como queiram, na verdade é meio fajuta. Tem a ver com as excessivas bandeiras amarelas que embaralham estrategias e muitas vezes alteram os finais.
Caso eles seguissem os padroes da f1 os que investem mais ganhariam sempre. Isso é uma regra.

Daniel Chagas disse...

Concordo com o Jefferson.Outra coisa, a Indy obviamente é menor do que a F1, porém pode-se dizer que se não fosse a cisão de 1996 com a criação da IRL e Cart a categoria seria com facilidade a segunda maior categoria do mundo em termos de importância. Até hj eu acho que a categoria não se recuperou dessa divisão mesmo tendo tido a fusão anos atrás. Porém acho que a categoria é muito boa e merece ser vista por todos. Muito mais legal que aquela porcaria de nascar por exemplo.

Mauricio Morais disse...

Corradi, por favor, fale sobre o fundo móvel da Ferrari.

Humberto Corradi disse...

Mauricio Morais

Amigo, acho que as concorrentes ainda não entendem a aerodinâmica da Ferrari e a sua construção. O fundo conseguiu passar em todos os testes de rigidez da FIA e portanto foi considerado legal.

O carro da Scuderia é uma obra de arte para mim.

A Mercedes também é, mas o italiano funciona melhor...

Valeu