terça-feira, 2 de maio de 2017

Clipping



































Eles querem um sistema de franquia.

Reduzir custos seria a chave para as pequenas sobreviverem financeiramente
e competitivamente.

Sauber & Honda

Umas coisas.

O acordo entre a Sauber e a Honda para fornecimento de unidades de força
vai até 2020.

Os japoneses também entrarão com dinheiro.

Algo em torno de 15 milhões de euros em 2018 e o dobro disso no ano seguinte.

Essa parte financeira pesou muito na hora de escolher qual motor moveria os
carros do time suíço.

Além disso, a Honda vai fornecer pessoal que será agregado ao material humano
da Sauber.

Para atender as duas escuderias (McLaren e Sauber) as instalações japonesas
na Inglaterra foram ampliadas.

Parte do contrato reza que pilotos do Japão poderão participar de testes com
a Sauber.

Assim um programa de desenvolvimento para os jovens deverá ser estabelecido.

Coisa que pode beneficiar diretamente Nobuharu Matsushita, hoje na F2.

Yusuke Hasegawa continuará tomando conta da McLaren, que contará com
status de time principal, enquanto que outro nome da fábrica será designado
para a Sauber (equipe cliente).

Para unificar o projeto, a Sauber receberá a mesma gasolina e óleo da McLaren
fornecidos pela Castrol / BP.

Para onde vai Alonso?

Essa é uma grande pergunta para 2018.

O espanhol possui a opção de permanecer na McLaren.

E está com a proposta da Renault nas mãos.

Como perguntar não ofende, a Williams (que tentou Jenson Button no passado)
também se insinuou para Ferdi.

E um ano sabático (e milionário) na Indy (se vencer as 500 milhas)?

Interessante que Alonso não poderá estar em dois lugares ao mesmo tempo.

E temos duas vagas voando em equipes de fábrica...

Newey

A Red Bull trabalha em sua nova versão para Barcelona.

Necessária.

A máquina não lida bem com a temperatura dos pneus.

Mas como sempre acontece nos projetos de Adrian Newey, o conceito
original vai permanecer.

Mudará o processo de desenvolvimento.

Inclusive sanando as falhas nos dados do túnel de vento e simuladores.

Acho que veremos o melhor da Red Bull nas pistas mais para o fim da
temporada.

E um bólido poderoso em 2018.

Um pensamento.

Zelo

O cuidado excessivo de Sebastian Vettel na largada facilitou a vida de Valtteri
Bottas em Sochi.

Deve ser considerado um erro do piloto da Ferrari não ter modificado sua linha
de forma mais agressiva para defender sua posição.

Isso pode ser visto também em certas atitudes de Lewis Hamilton.

A atenção demasiada de ambos é reflexo de um campeonato que tende a ser
decidido nos detalhes.

Sem riscos desnecessários.

Pois deixar de marcar pontos pode ser doloroso demais.

Uma brecha para os intrépidos.

Ensaios?

Depois de ter andado com um carro da GP3 na Itália, Robert Kubica experimentou
uma máquina da Fórmula E em Donington Park.

Por fim

Uma pergunta.

Mesmo após uma traumática separação, por que a McLaren ainda mantém uma
referência da Marlboro (desde os anos 80) em sua logomarca?













8 comentários:

Rafael disse...

Será que a Marlboro ainda paga algo para a McLaren? Assim como ainda faz com a Ferrari, porém por ser proibida a propaganda tabagista, de uma forma meio "escondida"?

Daniel Chagas disse...

Não duvido que a Philip Morris ainda tenha algum tipo de vínculo com a Mclaren. Outra, Fernando Alonso na F 1 só teria dois caminhos, a permanência na Mclaren ou a volta para a Renault. A Williams não tem atrativo algum! Qual seria? Ficar andando em sexto, sétimo a vida toda? Tudo bem que na equipe francesa ele andaria teoricamente nessas posições ano que vem, porém teria perspectiva para o futuro, a Williams é isso aí que vemos.

André Gustavo disse...

Se a RBR não tivesse a política de contratar pilotos de sua escola, seria um bom lugar pro Alonso.

Leandro Legal disse...

Considerando que a Honda vai "impor" a presença de pilotos japoneses na Sauber a partir de 2018, eu gostaria de rever pilotos como Takuma Sato, Kamui Kobayashi e Sakon Yamamoto.

Acho que o "feeling" deles seria importante para complementar aquilo que já foi captado em parceria com Alonso/Button/Vandoorne/Turvey.

Sempre lembrando que sou favorável à presença da Honda na F1 e acredito que no futuro, eles conseguirão bater de frente com Mercedes e Ferrari.

Vão brigar por pódios, vitórias e títulos. É só uma questão de tempo.

Minha dúvida... Quanto tempo será necessário para vermos essa nova era acontecer?

Cristofer Maninho disse...

Leandro, gostaria de ver o Koba também, porém ele é piloto Toyota, e eles não mudam de lado lá. Difícil.

Vejo com bons olhos a vinda do Matsushita, apesar das temporadas discretas na GP2/F2. Principal seria vir como parceira, e não como vendedora de motores.


GO SAUBER!!

Ricardo Reys disse...

Penso que a Mclaren apenas aproveitou a história da Marlboro como "inspiração" para manter a marca de uma associação já consagrada. Afinal, os anos de domínio do conjunto foram marcantes, e recomeçar do zero num novo logo seria, não somente injustificável, como contra-producente.

Claudio Lacet disse...

Que eu saiba, a partir de 1997, a antiga referência à Marlboro virou um Kiwi estilizado (a mesma ave dos dois primeiros símbolos da fábrica). Os faróis dos carros de rua mais recentes tem, inclusive, este formato.

Mas na verdade, é difícil enxergar um Kiwi ali.

Jefferson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.