sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Clipping

























Pronto para disparar.

Mercado

Parece que as coisas estão se definindo.

Para 2018.

Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen na Ferrari.

Max Verstappen e Daniel Ricciardo na Red Bull.

Lewis Hamilton e Valtteri Bottas na Mercedes.

A expectativa é que Fernando Alonso continue com a McLaren.

A permanência da Sauber no universo da Scuderia Italiana abre espaço para
que jovens talentos possam ser encaixados.

No cenário atual, Charles Leclerc está mais próximo de um lugar no time suíço
do que Antonio Giovinazzi.

Explico.

Precisamos lembrar que Frédéric Vasseur (Sauber) possui ótimo relacionamento
com Nicolas Todt que é responsável pela carreira de Leclerc.

E as conversas nos últimos dias entre os dois se tornaram mais intensas.

Leclerc é um jovem promissor que poderá render dividendos numa negociação
futura.

Há apenas uma vaga.

Já que Marcus Ericsson é intocável pois, apesar de Vasseur ter comando total,
o dono da Sauber é sueco.

Por certo, Pascal Wehrlein está em busca de um cockpit para o ano que vem.

Com a Haas (a outra unidade Ferrari) fechada com Kevin Magnussen e Romain
Grosjean, Giovinazzi pode continuar como piloto de testes e reserva por mais
uma temporada.

A porta para Wehrlein poderia ser a Force India.

Saiba que existe um movimento da Renault entorno de Esteban Ocon.

(Perez permanecerá na Force India)

Apesar do investimento em Robert Kubica?

Kubica só perde o lugar em 2018 se realmente não tiver condições físicas.

Posso estar enganado, mas vejo as coisas se desenvolvendo de uma maneira
específica.

McLaren fechando com a Renault (acordo de três temporadas) e Ocon
substituindo Vandoorne ao lado de Alonso.

Tudo depende do acordo de motorização para dizer o momento certo desse
movimento.

(2018 ou 19?)

Chegamos na Toro Rosso.

Antes tudo é necessário dizer que o time de Faenza começa a tomar novos
caminhos.

Começando com a parceria com a Honda.

Interessante notar que a presença do indonésio Sean Gelael não é figurativa.

Muito rico (seu pai controla a cadeia KFC em seu país) o piloto pode estar
disputando uma vaga já para o ano que vem.

Trazendo vinte milhões de euros na sacola, Galael repetiria uma programação
semelhante a que Lance Stroll realizou na Williams até aqui.

O maior ameaçado neste caso seria Danill Kvyat.

A Williams espera os ventos do mercado para decidir sobre Felipe Massa.

Depois?

Ninguém pode prever o futuro.

Vou dizer o que eu penso com as informações até aqui.

2019.

Sebastian Vettel (se a renovação com a Ferrari for de um ano) na Mercedes.

Contrato de dois anos (2019/20).

(antes da mudança das regras de motorização)

Fernando Alonso (que estava em Maranello semana passada) ou Lewis
Hamilton (para quem Sergio Marchionne abriu as portas) na Ferrari.

Os italianos sempre querem um campeão pronto.

Vamos ver.

Unidades de Força

A tendência é que quase tudo deva ficar com está para o ano que vem.

Exceção para a Honda.

McLaren indo com a Renault (já falamos acima) poderia ser o acontecimento
imediato.

A Haas e a Sauber deverão correr com o motor Ferrari sob o nome da
Alfa Romeo.

O acordo com a Sauber acabou livrando a Ferrari de ser obrigada pela FIA
(três equipes) a fornecer sua unidade para a McLaren.

A Maserati seria a marca escolhida para representar a Famiglia na Fórmula E.

Depois do acordo com a Toro Rosso a Honda tem tudo para se casar com a
Red Bull, OK?

Mais ou menos.

Helmut Marko hesita, Franz Tost é a favor e Christian Horner é a voz contrária.

Por enquanto.

Testes

Muitos nomes interessantes experimentaram a Fórmula 1 em Hungaroring.

No primeiro dia a sensação foi Charles Leclerc.

A Ferrari aproveitou o dia para testar um novo fundo.

Sean Gelael conduziu a Toro Rosso e deu 100 giros no circuito.

(superlicença?)

No segundo dia todos os olhos estavam em Robert Kubica.

Temperatura bem alta e circuito exigente.

O polonês cumpriu um programa pesado e completou 142 voltas.

Algo equivalente a dois Grand Prix.

Mesmo com tanta comoção por Kubica, Lando Norris se fez notar na
McLaren com uma excelente performance.

Podemos ver também que a nova asa dianteira que a Red Bull trouxe
para a Hungria sofreu alterações.

Um suporte de titânio apareceu nos testes para impedir que ela flexione
além do permitido pela regras.

É a FIA atendendo Mercedes e Ferrari.

Raikkonen usou muitas alterações no carro.

Sempre andando com o pneu soft (amarelo).

Composto que tem sido mais afinado com a Mercedes.

Para não passar em branco, Antonio Giovinazzi e Charle Leclerc ainda
testam com a Ferrari no programa da Pirelli em Barcelona.

Mudança de programação.

Pois Leclerc, que não estava escalado, foi chamado de última hora.

Cuidado

Massa sentiu tonturas na sexta-feira e no sábado em Hungaroring.

Principalmente após as primeiras voltas.

A substituição por Paul di Resta se fez necessária.

Pode ter sido um mal estar passageiro.

Tomara.

Entretanto se for algo mais sério pode significar o adeus do brasileiro.

Comando

Luta pelo poder entre  Maurizio Arrivabene e Mattia Binotto dentro da Ferrari?

Por Fim

A Cosworth começou a trabalhar em um possível retorno para a F1 em 2021.

Final do atual Acordo de Concorde.

Nome que possui 176 vitórias na categoria máxima do automobilismo.

A FIA e a Liberty (dona da F1) apoiam a entrada de unidades independentes
para diminuir o poder das grandes fabricantes.

O segredo para que a coisa possa vingar é o custo.


13 comentários:

Gabriel Pereira disse...

Corradi.
Meu Feeling pra 2018 é Wherlein na Williams.
Um descontaço nos motores e o Toto Wolf coloca a cria dele onde quiser nas clientes.
A chave será mesmo a Force India.Conforme você disse.
a ver...
O adeus do Massa está próximo.

LGD disse...

Corradi, buscando estatísticas, notei que separam Ford Cosworth de Cosworth, é correto? A vencedora seria a primeira neste caso, não?

O que há com Massa, também torço para ser algo passageiro, digo isso por ler que mais pessoas passaram mal na Hungria... temo ser algo relacionado ao acidente.

Jobson Mendes disse...

A McLaren vai deixar a Honda, para que a Red Bull colha os frutos...

Não sei, os japoneses têm errado, mas, e no momento que acertarem...

Luís Vieira disse...

Corradi, parabéns pelo artigo, como sempre primoroso. Algumas jovens estrelas devem ganhar a F1 em breve. Norris parece um fenômeno, em outro patamar. Leclerc também impressiona. Por mais que o coração nos possa fazer torcer pelo polonês, acho que a Renault erraria muito (em termos desportivos) ao apostar nele. O tempo passou e esse retorno não deixa de ser uma bela homenagem ao piloto, mostrando um pouco do que ele poderia ter sido. A Honda claramente evoluiu e a McLaren agora tem um carro de meio de pelotão. O que aconteceu? Foram as consultorias externas? Sinceramente não acredito nos japoneses, a forma de trabalho deles pra mim é ultrapassada, acho que alguém está ajudando e trazendo resultados para a fabricante.

Humberto Corradi disse...

Luís Vieira

A Honda possui recursos e vem trabalhando duro para entregar uma unidade de força digna.

Acho normal os frutos aparecerem.

Valeu

Pedro Teixeira disse...

recentemente li uma obra chamada Fora de série( outliers). Um capítulo me chamou a atenção. Falava de uma empresa coreana de aviação que tinha altos índices de acidentes, que foram atribuídos ao que ele chama de IDP ( índice de distância ao poder) que , quando é elevado, comum nas nas culturas orientais, leva os subordinados a seguirem as orientações dos superiores , mesmo não concordando com elas, ou mesmo achando que estão erradas. Me vi pensando se esse não é o caso na Honda...

Cristiano disse...

Segundo foi dito na saída do Bottas precisam de alguém com mais de 25 anos para publicidade da Martini.

jhonnydias disse...

Corradi...por onde anda o TORDO?...

Thiago Lemos disse...

Sobre os novatos:

Giovinazzi já era pra estar de titular, mas enfileiraram na Sauber esse ano, e só andou por causa da panca do Wehrlein. Se enfileirarem na Haas, é pra pensar em 2019.

Leclerc pode "cortar" a fila do Giovinazzi na Sauber, indo logo para titular no lugar de Wehrlein, que , caso vá para a Williams, faria um movimento interessante pra carreira.

Vi algumas etapas da F2, e Sean Gelael não é de nível de F1. Há vários melhores que ele.

Acho interessante a permanencia de Kvyat na Toro. Ele vem em uma fase sofrível, mas é mantido. Parece que não põem fé nos que vem depois na fila da red bull. Gasly tem título da GP2, e Niko Kari ainda está cru na GP3. Sensação de que a fonte está secando.

Esse movimento McLaren-Renault, pode promover Ocon pra Woking, mas pode matar a carreira do Vandoorne. Tomara que isso não ocorra.

Olho em Lando Norris (McLaren) e George Russell (Mercedes).

O teste da McLaren ter sido feito pelo Lando Norris (F3) já mostra que Nick de Vries (F2) não é mais a bola da vez deles.

Muita gente pra pouco cockpit. Lembrar que HRT, Caterham e Marussia faliram - era seis vagas a mais no grid;

Torço por Kubica na Renault. Palmer já deu. Caso o polonês não consiga correr, creio que apostarão em Sainz ou Ocon.

Enquanto isso, Sergio Perez se firma (ou se estagna) na Force India.

Tá com cara de ser o último ano do Massa na F1.

Humberto Corradi disse...

Jhonnydias

O Tordo?

Nas entrelinhas.

Daniel Chagas disse...

Concordo com o Gabriel Pereira, se Wherlein não conseguir vaga na Force India Toto Wolf o colocará na Williams, sendo assim, creio que Massa pode estar realmente no seu último ano na F-1. E uma coisa é certa, Vettel e Hamilton não se tolerariam em ser companheiros de equipe! Então a probabilidade de termos uma "troca" entre Mercedes e Ferrari é grande se a Mercedes realmente contratar o alemão. Ou Hamilton se aposenta, mas dividir a Mercedes com Vettel eu duvido que ele tope...

Humberto Corradi disse...

Marcos José

Ao acessar o Blog pelo celular acabei removendo seu comentário sem querer.

Aceite minhas desculpas.



alfoet disse...

esse MASSA penso que nao deveria ter despendurado a chuteira... mas, tem sempre uma vaga para quem é determindado, não? Gostei e gostaria de chamar atencao quanto ao comentario sobre o assunto DO INDICE DE IDP ( INDICE DE DISTANCIA AO PODER ). Aqui no Brasil e na America Latina tem aquela famosa frase "manda quem pode e obedece quem tem juízo" que vem bem ao caso, quando o funcionario tem uma sugestao ou critica o mandante simplesmente retruca : "Com quem voce pensa que esta falando?" em tom de ameaca e dai morre um monte de gente em um acidente aéreo bobo so por que nao foi checado ate o final uma possível ameaca de falta de combustível ( cai com um time de futebol inteiro antes de uma partida - CHAPECOENSE ).